Empório Colonial
Cesurg Sarandi
Cresol Sarandi
Grossi Combustiveis
  • Cresol Sarandi
  • Empório Colonial
  • Grossi Combustiveis
  • Cesurg Sarandi

O direito de arrependimento nas compras pela internet - Por Fernanda Cristina de Faveri

Sou Fernanda Cristina de Faveri, natural de Crissiumal, RS, advogada, OAB/RS 95.462, com escritório de advocacia na cidade de Carazinho, RS, especializado em assessoria empresarial e tributária, atuando especialmente na identificação e recuperação de tributos indevidamente cobrados – site www.fernandacristinadefaveri.adv.br. Além do mais, sou administradora e editora do blog jurídico https://odireitoparatodos.com, no qual desenvolvo trabalho semelhante ao que me proponho nesta coluna.

Hoje inauguramos este espaço com o objetivo de difundir o conhecimento jurídico para o público em geral, com uso de linguagem simples e acessível, evitando termos técnicos (o famoso “juridiquês”), que eventualmente dificultariam a compreensão dos amigos leitores.

Buscarei, ao longo dos meus posts, apresentar um pouco do conhecimento acadêmico, do entendimento dos tribunais sobre questões jurídicas relevantes, bem como trazer novidades da legislação.

Nesse contexto, serão trazidas dicas e esclarecimentos sobre situações corriqueiras do dia a dia, visando levar às pessoas consciência de seus direitos, bem como o conhecimento, muitas vezes necessário, para evitar problemas jurídicos e futuros incômodos.

Para começar, falarei das compras on line, ou seja, as realizadas pela internet.

 

O direito de arrependimento nas compras pela internet

Comprei pela internet, não gostei do produto...e, agora, o que fazer???

Com a era digital em avanço, as compras pela internet vêm crescendo de forma considerável. Os consumidores buscam, cada vez mais, efetuar suas compras com conforto e agilidade.

Nesse contexto, já não se busca o comércio físico local como antes, especialmente, pela comodidade de satisfazer o desejo de compra sem sair do sofá.

Se, por um lado, o comércio eletrônico facilita a vida do consumidor, também pode potencializar o consumo impulsivo.

– Que atire a primeira pedra quem nunca se arrependeu de uma compra efetuada por impulso!!!

E, agora, o que fazer??

arrependimento

Calma, há  solução.

O chamado direito de arrependimento, previsto no artigo 49, do Código de Defesa do Consumidor – CDC, dá a possibilidade ao consumidor de desistir da aquisição no prazo de 7 (sete) dias, a contar do recebimento do produto ou serviço, e receber seu dinheiro de volta, sem dar nenhuma explicação. Mas, para exercer o arrependimento, necessariamente a compra deve ter sido realizada pela internet, telefone ou catálogo.

Além do mais, o consumidor que exercitar o direito de arrependimento deverá receber seu dinheiro de volta, com a devida atualização monetária. Também, não cabe cobrança de qualquer valor em razão da devolução da mercadoria (despesas de correio ou transportadora). Ou seja, esses custos correm por conta do fornecedor, vez que se trata de risco do negócio.

Mesmo que haja cláusula contratual prevendo a responsabilidade do consumidor pelas despesas no caso de arrependimento, deverá ser devolvido o valor integral. Isso porque tal cláusula contraria o CDC, e, portanto, é nula.

Importante frisar que o direito de arrependimento não se aplica às compras realizadas dentro do estabelecimento comercial. Nessa situação, de acordo com artigo 18, do CDC, é possível que o consumidor peça a devolução de seu dinheiro, se o produto tiver algum problema que não seja sanado em 30 dias. Também há outras possibilidades, as quais serão objeto de outro post.

Quer saber mais sobre assuntos similares a este?

Acesse https://odireitoparatodos.com/ e confira.

CLIQUE AQUI, curta a Fan Page do site e fique informado sobre as notícias da região.

O DiárioRS não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse, as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.