Palazzo Ambientes
Conffiare
Assembleia
Grossi Combustiveis
  • Grossi Combustiveis
  • Palazzo Ambientes
  • Assembleia
  • Conffiare
  • Home
  • Colunistas
  • Inspiração
  • Cultivar a própria felicidade - Por Dulcenéia Haas Wommer

Cultivar a própria felicidade - Por Dulcenéia Haas Wommer

 

Cultivar a propria felicidade Por Dulceneia Haas Wommer310117Férias, sempre tão esperadas... Mas enfim, chegaram! Em período de férias, vamos repensar a questão da inspiração ou a falta dela... Geralmente deixamos muitas coisas para fazer nas férias, pois estaremos mais descansados para produzir ou ir em busca de algo. Mas também tem algumas pessoas que a inspiração flui sob pressão. Assisti uma entrevista certa vez de um estilista que afirmou que só conseguia criar seus modelos quando o prazo do desfile batia a sua porta, ou seja, sob pressão. Acho que me defini também rs, rs, rs... Bem, mas vamos falar sobre cultivar sentimentos, como a felicidade, do que inspira ou deixa de inspirar o que é o objetivo desta coluna. Observei há dias atrás em programas de TV (estou de férias como já comentei), como estes programas estão falando de felicidade, vida simples e buscando dar visibilidade a este novo(?) conceito ou redescobrindo a verdadeira essência da vida, com histórias de vida de superação, inspiração, letras de músicas, como aquela que  viralizou nas redes sociais “Não é sobre ter todas as pessoas do mundo pra si, é  sobre saber que em algum lugar alguém zela por ti, é sobre cantar e poder escutar, mais do que a própria voz, é sobre dançar na chuva de vida, que cai sobre nós...”e assim segue a música de Ana Vilela,  “Segura teu filho no colo, sorria e abraça teus pais enquanto estão aqui, Que a vida é trem-bala  parceiro e a gente é só passageiro prestes a partir...”

Por outro lado,  um a doença ronda nossa sociedade e este ano é tema do Dia Mundial da Saúde que é comemorado no dia 7 de abril pela Organização Mundial da  saúde (OMS)  que deu início a uma campanha sobre Depressão, transtorno que pode afetar pessoas de qualquer  idade em qualquer etapa da vida. Com o lema “Let’s talk” (“Vamos conversar”), a iniciativa reforça que existem formas de prevenir a depressão e também de tratá-la, considerando que ela pode levar a graves consequências.

Diante dessa necessidade de entendimento do que realmente importa nessa vida, quero trazer algumas considerações  do livro que adquiri (há  3 ou 4  anos,  também nas férias) NÂO SOU FELIZ, POR QUÊ?  Do cardiologista Dr. Fernando  Lucchese, (já tive oportunidade de assistir uma palestra dele). Já li e reli, sublinhei...  é  assim quando me chama atenção  e por isso quero compartilhar com vocês.

“Para cada cem artigos sobre tristeza, os jornais publicam um sobre felicidade. Estudamos a doença e pouco a saúde.

Nascemos felizes ou aprendemos a ser felizes? definitivamente não nascemos tristes. Nascemos felizes e nos tronamos tristes depois.

Mas o que é essa tal felicidade?  Felicidade é sentir-se bem estar satisfeito com a vida que se leva e querer que essa condição se mantenha. E tem um endereço, no cérebro! Os hormônios do bom humor, serotonina e dopamina quando faltam se instala a depressão.

Têm ainda as questões da inveja, a falta de confiança nas pessoas e nas instituições, as amizades... A síndrome da “comparação social” é outra doença da sociedade; o stress coletivo aumentou... A falta de espiritualidade...

A Organização Mundial da Saúde já alerta para o fato de que em 2020 a depressão será a segunda causa de doença incapacitante para o trabalho, o aumento da renda dos países também aumenta o número de casos de depressão. A depressão vai perder somente para doença cardiovascular. É duas vezes mais comum que a diabete. É três vezes mais comum do que o câncer. Metade dos infartados já teve ou está em plena depressão.  É duas vezes mais comum em mulheres do que em homens.  Algumas profissões parecem ser mais atingidas ( agricultores, médicos, dentistas e farmacêuticos). Porém homens deprimidos se suicidam 3 vezes mais do que as mulheres.

Atenção: Qualidade de vida significa conforto. Estilo de vida saudável (gestão do prazer e da felicidade) é muito mais. É saúde e felicidade cuja consequência é a longevidade.”

Enfim... Ficam aqui algumas questões. Precisamos cada vez mais de  pessoas e histórias inspiradoras  e de gratidão. Bem, a questão satisfação, ser grato já é tema para outro dia.

Até Lá!

Por Dulceneia Haas Wommer

CLIQUE AQUI, curta a Fan Page do site e fique informado sobre as notícias da região.

O DiárioRS não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse, as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.