Cresol Sarandi
Empório Colonial
Grossi Combustiveis
Casa Valoá
  • Cresol Sarandi
  • Casa Valoá
  • Grossi Combustiveis
  • Empório Colonial
  • Hiper Mercado Wagner
  • X & Cia
  • Xok's Sarandi
  • Milani Corretora de Seguros
  • Teloken Engenharia LTDA
  • Casarotto Imóveis
  • Cesurg Sarandi
  • Pet Salutem
  • Signomar Comércio de Bebidas
  • Clínica Estética Vitallitá
  • Taura Auto Peças
  • Gostinho Della
  • Bortoluzzi Odontologia
  • VS Gráfica Expressa
  • Restaurante 4 Ases
  • Salute
  • Drággon Artigos Esportivos
  • Laboratório Sarandi
  • Farmácia Nossa Senhora de Fátima
  • Cotrisal
  • Rembecker Estruturas Metálicas
  • Barbearia 84
  • Nina Comunicação Visual
  • Sicredi
  • Rômulo De Cezaro

CESURG Sarandi promove formação pedagógica e recepção docente

 

O cenário da educação foi transformado com a globalização e posterior acesso às tecnologias da informação e comunicação (TIC). Para muitos educadores, a aproximação com as TIC ocorreu durante o ensino superior ou com os incentivos governamentais. No entanto, para os educandos do século XXI, chamados de geração Z, o processo ocorreu de forma singular, já que esses foram os primeiros a nascer na chamada Era Digital. Tais modificações impactam diretamente na postura adotada em sala de aula.

Para compreender melhor as mudanças ocorridas no ambiente de sala de aula e propor novas formas de trabalhar as dinâmicas educacionais, ocorreu na segunda-feira (05), a primeira formação pedagógica dos docentes do CESURG Sarandi em 2018. A atividade foi ministrada pela professora doutora Vanessa dos Santos Nogueira e abordou a importância das metodologias ativas no contexto da Educação Superior.

Na ocasião, o diretor-presidente do CESURG, Rafael Rossetto, reafirmou o comprometimento da instituição com pautas do desenvolvimento socioeconômico e cultural sustentável. “Estamos caminhando rumo a um objetivo que é muito importante para nós, a equidade de gênero no corpo docente. Aqui no CESURG, Equidade é um valor fundamental para nós e buscamos essa equidade de gênero também entre educadores e educadoras”, declara o professor Rafael Rossetto.

Dando continuidade às atividades da noite, o diretor-presidente refere-se ao ano de 2018 como um divisor de águas na história da instituição. “Este ano será ainda mais desafiador que os anteriores na história do CESURG e isso nos motiva muito. A atividade de hoje, sobre metodologias ativas, assinala a importância de seguirmos em constante atualização enquanto docentes e pesquisadores para oportunizarmos aos estudantes da faculdade um conhecimento atualizado, aliando teoria e prática, propondo soluções aos problemas apresentados pela sociedade. Um conhecimento que destaque no mercado de trabalho o profissional formado no CESURG”.

As metodologias ativas

Neste tipo de construção, o aprendizado pode ser dinâmico e as aulas passam a ser mais interessantes para os alunos. Segundo Vanessa, as aulas devem ser planejadas com antecedência e envolvem uma série de recursos distintos e que colaboram com o ensino aprendizado do educando contemporâneo, especialmente a utilização das tecnologias digitais. Neste quesito, o educador deve refletir sobre todos os processos que irão culminar no aprendizado dos seus educandos. “O inicio do trabalho com metodologias ativas requer que os professores reorganizem seu planejamento, utilizando o espaço da sala de aula como um espaço de problematização e práticas que movimentem os saberes do currículo, deixando de lado o currículo desfragmentado e desconectado da realidade. Além disso, é importante olhar para a comunidade e perceber quais as ações que podem ser desenvolvidas fora do espaço da universidade. Os estudantes são profissionais em formação que em breve vão estar no mercado de trabalho, essa percepção permite que pensar as metodologias ativas no sentido de preparar esse profissional, priorizando a relação teoria e prática desde o início do curso”, complementa a educadora.

A pesquisadora em Educação salienta a importância das metodologias ativas em um contexto atual do ensino aprendizagem. “As metodologias ativas renovam os espaços da universidade e as relações entre ensino, pesquisa e extensão. Nesse cenário, o estudante tem participação ativa na sua aprendizagem e no desenvolvimento de habilidades. As metodologias ativas oportunizam aos estudantes uma aprendizagem baseada em projetos e problemas, desenvolvem a criatividade e autonomia por meio de atividades que mobilizam teoria e prática voltadas para a sociedade”, explica a Vanessa.

No processo de utilização das metodologias ativas, o professor ocupa um lugar importante dado o conhecimento acumulativo no exercício da docência. “Os professores desempenham um papel fundamental no desenvolvimento das metodologias ativas, para desenvolver essas atividades os docentes são responsáveis pela gestão do conhecimento e pelas escolhas das estratégias de ensinagem baseadas no entrelaçamento dos saberes do currículo com a realidade social”, afirma a palestrante.

A transposição didática e importância do saber local

Um dos fatores importantes para o processo de ensino-aprendizagem é conhecer as experiências cotidianas dos educandos. Cada sujeito possui uma construção sociocultural da qual emerge um saber local. Segundo o diretor de ensino do CESURG, Eduardo Toledo Martins, os educadores do CESURG conhecem o contexto local e origem dos seus educandos, o que facilita na elaboração e construção de um ambiente de ensino-aprendizado voltado as práticas teóricas e práticas do ensino superior. “As atividades desenvolvidas no CESURG levam em consideração os conhecimentos oriundos das vivências dos nossos educandos. Sendo que muitos deles já se encontram atuando no mercado de trabalho e encontram no CESURG uma forma de atrelar a teoria e prática direcionada aos conhecimentos que”, afirma Martins.

Neste contexto, o educador deve perceber que o conhecimento científico adquirido ao longo da sua formação acadêmica deve ser transferido conforme o ambiente no qual as dinâmicas sociais ocorrem. De acordo com Vanessa, emerge neste cenário a transposição didática, instrumento pelo qual o educador transforma o conhecimento científico em conhecimento escolar.

A escolha profissional e as experiências na infância e juventude

Pesquisas recentes afirmam que as escolhas profissionais dos estudantes são fruto da aproximação das crianças e dos jovens das profissões já existentes. Muitas dessas crianças e jovens espelham-se nas profissões de familiares, de pessoas próximas e até mesmo de informações que possuem na grande mídia.

Para Vanessa, as escolhas das profissões são reflexos das experiências dos educandos na educação primária e secundária. “Quando ingressamos no ensino superior, buscamos referências nos profissionais que passaram pela nossa vivência enquanto estudantes”, salienta a doutora em Educação.

Sobre a palestrante:

Vanessa dos Santos Nogueira possui formação em Pedagogia e doutorado em Educação. É professora pesquisadora e vice-líder do Grupo de Estudos em Educação, Tecnologias e Sociedade - Interface - UFSM/CNPq.

 

capa formacao pedacogica

 

CESURG

 


CLIQUE AQUI, curta a Fan Page do site e fique informado sobre as notícias da região.

O DiárioRS não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse, as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

  • Vimesq
  • SCT Construtora e Incorporadora LTDA
  • Lancheria Grenal do Tainha
  • Estação Fitness
  • Confecções Helenice
  • Drago Restaurante e Pizzaria
  • Eficaz
  • Revista Spelho