Grossi Combustiveis
Conffiare
Assembleia
Palazzo Ambientes
  • Palazzo Ambientes
  • Assembleia
  • Grossi Combustiveis
  • Conffiare
  • Taura Auto Peças
  • Hiper Mercado Wagner
  • Rembecker Estruturas Metálicas
  • Sicredi
  • MKSNet Telecomunicações
  • Drággon Artigos Esportivos
  • Lunna Pub Bar
  • Barbearia 84
  • Signomar Comércio de Bebidas
  • Rômulo De Cezaro
  • Teloken Engenharia LTDA
  • Benno's Bar
  • X & Cia
  • Jack's Steak Club
  • VS Gráfica Expressa
  • Milani Corretora de Seguros
  • Irmãos Ferronato
  • Boohler Serigrafia
  • Laboratório Sarandi
  • Gostinho Della
  • Bortoluzzi Odontologia
  • Cresol
  • Cotrisal
  • Nina Comunicação Visual
  • Clínica Estética Vitallitá
  • Restaurante 4 Ases
  • Farmácia Nossa Senhora de Fátima
  • Bruna Soares Fotografia
  • Cesurg Sarandi
  • Casarotto Imóveis
  • Sabor Natural

Polícia Civil faz operação para prender suspeitos de estupro no Rio

 

rioA Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (Dcav) deflagra nesta segunda-feira (30) uma operação policial para cumprir seis mandados de prisão e de busca e apreensão de aparelhos celulares e computadores expedidos na investigação do crime sofrido por uma adolescente de 16 anos, no Morro São José Operário, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio.

Entre os procurados pela polícia estão Lucas Perdomo Duarte Santos, de 20 anos, o jogador do Boa Vista, apontado como namorado da vítima, Raí de Souza, que admitiu ter divulgado o vídeo, Marcelo Miranda Correa, Raphael Assis Duarte Belo, Sérgio Luiz da Silva Júnior e Michel Brasil da Silva.

Diversas delegacias dão apoio. A operação é coordenada pelos delegados Cristiana Bento, da Dcav, e Ronaldo Oliveira, diretor do Departamento Geral de Polícia Especializada.

O advogado do suspeito Marcelo Miranda, que supostamente divulgou as imagens, informou que os policiais estão na comunidade Cidade de Deus e já foram até a casa de seu cliente, que ainda não havia sido localizado às 7h45 desta segunda.

Em entrevista para o Fantástico, a adolescente contou que sofre ameaças e disse que se sentiu desrespeitada na delegacia onde prestou depoimento. “O próprio delegado me culpou”, afirmou, ressaltando que pediu para que o depoimento ao delegado-titular da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI), Alessandro Thiers, fosse interrompido.

“O próprio delegado me culpou. Quando eu fui à delegacia eu não me senti à vontade em nenhum momento. Eu acho que é por isso que muitas mulheres não fazem denúncias. Tentaram me incriminar, como se eu tivesse culpa por ser estuprada”, relatou a menor, que afirma que chegou a pedir para que o depoimento fosse interrompido.

Laudo não aponta indícios de violência
O laudo da perícia do caso do estupro da jovem de 16 anos no Rio diz que a demora da jovem em acionar a polícia e em fazer o exame foi determinante para que não fossem encontrados indícios de violência, como mostrou o Bom Dia Rio nesta segunda-feira (30).

 

Além do resultado do exame de corpo de delito, a polícia também fez uma perícia no vídeo que foi divulgado nas redes sociais. O Chefe de Polícia Civil, Fernando Veloso, disse que a perícia feita no vídeo traz respostas que podem contrariar o senso comum que vem sendo formado pelas pessoas sobre esse caso.

Neste domingo (29), o Fantástico adiantou algumas informações que estarão no laudo realizado sobre o vídeo divulgado nas redes sociais do caso de um estupro coletivo que teria ocorrido em uma comunidade na Zona Oeste do Rio. O chefe de Polícia Civil, Fernando Veloso, informou que o laudo pode trazer novas informações sobre o caso.

“Não há vestígios de sangue nenhum que se possa perceber pelas imagens que foram registradas. Eles [os peritos] já estão antecipando, alinhando algumas conclusões quanto ao emprego de violência, quanto à coleta de espermatozoides, quanto às práticas sexuais que possam ter sido praticadas com ela ou não. Então, o laudo vai trazer algumas respostas que, de certa  forma, vão contrariar o senso comum que vem sendo formado por pessoas que sequer assistiram ao vídeo”, concluiu Veloso.

A menor de 16 anos de idade que teria sido vítima de um estupro coletivo em uma comunidade da Zona Oeste do Rio de Janeiro entrou no Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes ameaçados de Morte (PPCAM), executado pela Secretaria de Direitos Humanos do Estado do RJ. A adolescente já saiu de casa e está em um local que não foi divulgado, como informou a Globo News.

O programa de proteção foi criado em 2003 como uma das estratégias do governo federal para o enfrentamento dos casos de assassinato de crianças e adolescentes.

A delegada que assumiu a coordenação do caso a partir deste domingo (29), Cristina Bento, titular da Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente Vítima (DCAV) afirmou que está estudando o inquérito e que a medida foi necessária para garantir a segurança da jovem.

“É muito importante, para garantir a integridade física da vítima. Se houver alguma dúvida, vamos ter que requisitar a oitiva dela e ver uma forma de novamente ouví-la. Mas eu acredito que não será necessário. Mas eu preciso analisar cada termo de declaração tomado. Estou vendo parágrafo por parágrafo e vou dar uma resposta. Vocês podem confiar”, afirmou a delegada.

Por G1/Rio

DiárioRS

CLIQUE AQUI, curta a Fan Page do site e  fique informado sobre as notícias da região.

rodape diario novo

CLIQUE AQUI, curta a Fan Page do site e fique informado sobre as notícias da região.

O DiárioRS não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse, as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

  • Eficaz
  • Revista Spelho
  • Confecções Helenice
  • Vimesq
  • Drago Restaurante e Pizzaria
  • Lancheria Grenal do Tainha
  • SCT Construtora e Incorporadora LTDA
  • Estação Fitness