menu
Colunas

Sarandi – Leia “Sarandi Em Fatos” de 10 de janeiro


Data de publicação: 10 de janeiro de 2013
Coluna: José Leal
Colunista: José Leal





Arena I


A publicação da entrevista com a estudante de Direito e recriadora da Arena como partido político, Cibele Baginski, resultou em  dezenas de comentários repercutindo  as declarações da caxiense. Ficou claro nos depoimentos que estava sendo discutida a volta ou não de praticas do tempo da ditadura militar. Equanto uns criticavam a volta da Arena ligando a sigla com a ditadura, outros justificavam a recriação do partido político  criando elos de ligação entre atos de corrupção praticados hoje no Brasil com a impunidade que supostamente não ocorria entre os anos 70 e 80.


Arena II


Desconsiderando as opiniões favoráveis e contrárias a volta da Arena, sua ligação ou não com praticas da ditadura militar e temores  de uma possível volta de restrições de liberdade, o importante é o debate surgido e a defesa de ideias dos dois lados. Essa é uma das obrigações da imprensa. A  presidente provisória da Arena acessou os comentários e deverá se pronunciar nas próximas semanas.


Frota


Sarandi aumentou sua frota  em circulação em mais de mil veículos entre 2011 e 2012.  De 10.464 veículos em 2011 o numero subiu para 11.203 no ano passado. Mais detalhes em reportagem completa na próxima semana.


Pressão


Prefeito Paulo e vice Grando  anunciaram os seis primeiro secretários que passaram a integrar a administração. Outras siglas que fizeram parte da coligação que venceu a eleição aguardam a definição do restante do primeiro e segundo escalões.  Mesmo discreta, há pressão para que o anuncio seja feito antes do final de janeiro.


Secretários


Entrevista do presidente do PPS, Alex Rodrigues,  elogiosa em todos os aspectos ao prefeito Paulo e a confiança do dirigente do PPS no cumprimento de acordo que teria sido feito entre o novo prefeito e vice com os partidos coligados dá mostras de que a chamada de novos aliados é quase certa.


Cargos


Para contentar todos  que aguardam vagas em funções publicas municipais na prefeitura de Sarandi seria necessária mais uma prefeitura.  Descontentes surgirão. Não há lugar para todos.


Ipiranga


Dirigentes do Ipiranga afirmam que o clube não tem dividas, a ultima pendência trabalhista foi solucionada a poucas semanas com um ex atleta do clube afirma o presidente e o empresário Saul Mattei, representante da empresa que havia feito parceria com o clube.


Ipiranga II


A parceria com a prefeitura, através da secretaria de educação, tem mentido o estádio Fonte Sarandi em condições de uso, inclusive  obedecendo o que determina a Brigada Militar e Corpo de Bombeiros no que diz respeito é segurança.  A utilização do estádio por parte das escolinhas  e para jogos de campeonatos municipais justifica os gastos da prefeitura no estádio mas se essa parceria terminar, como ficaria a manutenção  de toda aquela estrutura. O clube hoje não tem uma fonte de renda para essas despesas.


Comodato


Estuda-se a possibilidade de um comodato entre o município e o Ipiranga para  que o estádio passasse para a responsabilidade do município  mediante um pagamento mensal  acordado entre as duas partes. Para isso o clube não poderia ter pendências financeiras, o que legalmente impediria esse comodato.  As afirmações dos dirigentes do clube de que não há dividas  deixa de ser um impedimento para o comodato.


Galeria


Uma solução urgente a nova administração municipal deve encontrar para um problema surgida a mais de um ano. A galeria rompida na Rua Abramo Vicari precisa ser reparada. Na época do rompimento a responsabilização dos responsáveis pela construção daquela obra que segundo informações apresentou problemas poderia ter ocorrido mas não aconteceu.   Independentemente desse possível problema na construção, a galeria ficou destruída em parte por mais de um ano. Outras formas de solução devem ser encontradas com urgência.


Hospital I


Entrevista do presidente do Hospital Comunitário Sarandi, HCS, (leia nessa edição)  concedida ao colunista mostra ainda visivel desavença  do dirigente daquela instituição  com o representante do Ministério Público de Sarandi. Luiz Valdemar Albrecht mostra nas respostas seu descontentamento com sua saída da direção do Consórcio Intermunicipal de Saúde e credita isso a “ problemas pessoais”  que haveriam entre ele e o promotor.


Hospital II


Em trecho da entrevista Albrecht é perguntado se ele se considera insubstituível na direção do Consórcio . Afirma que não  é insubstituível mas diz, . “Eu sei como se administra um hospital por que eu fui estudar pra saber isso, não sou um curioso , por isso que o hospital na minha Mao  sempre cresceu , não que seja eu , mas qualquer pessoa pra fazer isso funcionar direito tem que conhecer, só querer não é suficiente”.  Albrecht também foi perguntado sobre as causas da sua saída do Consórcio por determinação judicial. Leia a entrevista completa nessa edição.


Consórcio


Prefeito de Sarandi Paulo Kasper cogitado para assumir a presidência do Consórcio Intermunicipal de Saúde.


Frase


Não sou dinheiro. Por isso não preciso que todos gostem de mim.


Por José Leal


DiárioRS


Sugestões e críticas e-mail:     [email protected]


Para comentários clique no campo abaixo e escreva.



jornal21 jornal21