menu
Colunas

Sarandi - Sarandi em Fatos 16/12


Data de publicação: 16 de dezembro de 2016
Coluna: José Leal
Colunista: José Leal



 


Tensão I


É tenso o clima entre os partidos que compuseram a coligação que venceu a eleição municipal. O nervosismo é em razão da indefinição da sequencia das presidências da Câmara de Vereadores nos próximos quatro anos. Informações dão conta de que o impasse está na ordem das presidências. Rede, PP e PT deverão dividir entre os seis eleitos os quatro anos na presidência se não houver nenhum fato novo. As tratativas serão mais intensas após a diplomação nesta sexta-feira.



Tensão II


Eleito para vereador poderá assumir uma secretaria municipal aproximadamente na metade do próximo ano e abrir mais uma vaga no Legislativo. Fator que pode estar gerando impasse na definição da sequência na presidência da Câmara Municipal.



Secretarias


A nova administração municipal poderá iniciar o mandato com menos de quatro secretários. Informação de bastidores dão conta que entre três ou quatro secretários poderão assumir e ainda sem receber salários  por  alguns meses.


 Leitor


Marcio Antônio Cardozo



Balanço


Esse colunista entrevistou os prefeitos de Nova Boa Vista, Barra Funda e Rondinha sobre a situação que os novos prefeitos receberão as prefeituras e o balanço do ano de 2016. Dos entrevistados, o prefeito de Rondinha diz que para 2017 a prefeitura não inicia o ano com déficit e sim com dinheiro em caixa, a situação se repete em Nova Boa Vista onde também várias obras estão sendo inauguradas esse mês, em Barra Funda o próximo prefeito terá que pagar o décimo terceiro de salário de 2016 dos funcionários da prefeitura.  O prefeito Paulo Kasper ainda não foi entrevistado para um balanço dos anos. O prefeito eleito Cardozo já adiantou que receberá a prefeitura com um déficit de cerca de seis milhões de reais.



Aumento I


Na semana passada foi tema dessa coluna os reajustes que estão para ser votados pela Câmara de Vereadores da algumas taxas e impostos municipais, entre elas a taxa de recolhimento do lixo será reajustada. O reajuste será de cerca de trinta por cento. Hoje o município arrecada cerca de 700 mil reais  anuais e gasta cerca de um milhão e trezentos mil reais. Essa semana o vice-prefeito eleito Glauber Kunzler disse que o reajuste na taxa do lixo para a maioria dos contribuintes será menor que um real.



PSDB


O diretório estadual do PSDB pediu ao TRE a dissolução de 32 diretórios municipais por não lançarem candidatos a prefeito nem vereador.  A situação do diretório do partido em Sarandi consta como “não vigente” desde o dia oito de dezembro.



Exonerados


Todos os funcionários em Cargos em Comissão da Câmara de Vereadores já foram comunicados das suas exonerações no fim desse mês.


Cãmara


Cerca de trinta projetos ainda tramitam na Câmara de Vereadores, esses poderão ser votados todos na próxima segunda-feira dia 19.


PEC 55


Aprovada a PEC 55 que limita os gastos das prefeituras, Câmaras de Vereadores, Governo Estadual, Federal pelos próximos 20 anos. A PEC, porém vai tirar R$ 743 bilhões da Saúde (Estudo do Ipea) e R$ 510 bilhões da Educação (Estudo Técnico da Consultoria de Orçamento da Câmara), além de congelar salários, é aprovada por 53 votos a 16. Após discussões entre a base aliada de Temer e a oposição, o Senado aprovou nesta terça (13), em segundo turno, a Proposta de Emenda à Constituição que congela salários e investimentos em Saúde e Educação nos próximos 20 anos (PEC 55/2016).Dos senadores gaúchos, votaram a favor da PEC Ana Amélia (PP-RS), Lasier Martins (PDT-RS) , contra , Paulo Paim (PT-RS)  



Empreiteiras


Nunca na história do Brasil se ouviu tanto falar em empreiteiras desde o mensalão e agora a lava jato. Mas essa história é antiga. O casamento harmonioso das empreiteiras envolvidas na operação Lava Jato com as obras públicas é mais antigo do que muitos pensam: começou no governo Juscelino Kubitschek (1955-1960) e teve sua “lua-de-mel" na ditadura militar (1964-1985). Essa é a análise de especialistas ouvidos pelo  que fizeram uma retrospectiva sobre a história das empreiteiras no Brasil. Até a década de 50, eram construtoras que tinham seus limites no território do Estado ou região. O que acontece de JK pra cá é que eles se infiltraram em Brasília" A construção de Brasília, fundada em 1961, foi um marco para a história das construtoras: foi a partir de então que elas se uniram. "Ali, reuniram-se empreiteiras de vários Estados e começaram a manter contato, se organizar politicamente


 


Empreiteiras II


Entre as centenas de obras feitas no período miliar, há casos emblemáticos como a ponte Rio-Niterói, que foi feita por um consórcio que envolveu Camargo Corrêa e Mendes Junior entre 1968 e 1974. Já a Hidrelétrica Binacional de Itaipu, que teve o tratado assinado em 1973 e foi inaugurada em 1982, foi feira pelas construtoras Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez e Mendes Júnior. As mesmas Mendes Júnior e a Camargo Corrêa Transamazônica, que começou em 1970 foi inaugurada, incompleta, em 1972.


Apesar de denúncias de pagamento de propina terem sido escancaradas com a operação Lava Jato da Polícia Federal, o historiador acredita que a corrupção envolvendo empresários da construção e políticos é antiga."Todos os indícios são de que a corrupção não aumentou. O que a gente tem hoje é uma série de mecanismos de fiscalização que expõe mais, bem maior do que havia antes. Na ditadura não tinha muitos mecanismos fiscalizadores, e que o havia era limitado". (historiador Pedro Campos)


Por José Leal



sarandiemfatos161216 copy sarandiemfatos161216 copy