menu
Colunas

Inspiração - A possibilidade de se reinventar e a paixão pelas orquídeas


Data de publicação: 11 de janeiro de 2017
Coluna: Inspiração
Colunista: Inspiração




A frase do filósofo Howard Thurman vem ilustrar nossa coluna de hoje, “não pergunte de que o mundo precisa. Pergunte o que faz você se sentir vivo e vá fazer isso. Porque o mundo precisa de pessoas que se sintam vivas”


E quando a  aposentadoria chegar,?  Pois almejamos tanto durante a vida profissional, contamos os anos, meses...mas a vida não pode parar e nem se acomodar.


Muitos  conseguem continuar fazendo o que aprenderam como profissão , outros precisam deixar suas funções, cargos...Mas tem também aqueles e aquelas que pensam , bem agora vou realizar meu sonho ou ainda fazer algo bem diferente . Na verdade todos os dias temos que  ter a capacidade de se reinventar, até mesmo durante anos de trabalho  na mesma função. Este é o gás , o entusiasmo  que no s joga para frente. Eu mesma creio muito nisso, capacidade de se reinventa! Adoro essa possiblidade e admiro  nos outros também!


Encontrei uma mulher que representa justamente isso, a  professora Jaci Luft Seidel, no município de Pinheirinho do Vale . Poderia chamar aquele lugar de paraíso das orquídeas, mas  o nome comercial é Orquidário Luft. A Jaci  sempre gostou de orquídeas, mas se formou e trabalhou como professora, e quando chegou a aposentadoria decidiu por cuidar de orquídeas. E quem gosta de orquídeas logo vira orquidófilo, colecionador, apaixonado....conheço algumas amigas assim... E vocês sabem do que estou falando não é mesmo?


Então há alguns anos ,juntamente com o marido  reorganizou sua casa para acomodar as mais de 12.000 plantas que mantém hoje. São das espécies vandas, cattleyas, cymbidium, phalaenopsis, oncidium, dendrobium, encyclias, laelias, brassias, comanara, entre outras. É de encher os olhos e a alma. E cada vez mais me convenço que  a harmonia da mente com o ambiente e as plantas são um conjunto, pois ao conversar com a Jaci, o seu tom de voz, sua tranquilidade, serenidade  e sua forma de me mostrar todo aquele espaço revela a beleza do sentimento nutrido por essas plantas  e que com certeza é um sentimento de reciprocidade que acontece ente elas ( as orquídeas e a Jaci). O marido dela também se dedica aos cuidados com as plantas apesar de ter outra ocupação.


Mas ficou bem claro  para mim, nesse relacionamento que a harmonia e a beleza das flores reflete  na personalidade dela . Ou seria o inverso?


Acredito que o ser humano só é feliz quando faz o que realmente gosta e tem paixão pelo seu trabalho, cultivar e comercializar orquídeas é instigante estimula o prazer e a alegria de viver, afirma a professora  Jaci. Ela se reinventou , faz o que gosta, e  gera renda com isso e agora já participa de feiras na região.


E você como se reinventa?  descobre seus outros talentos? Se desafia a fazer coisas novas e diferentes? O que faz para se sentir vivo?



Por Dulcenéia Hass Wommer



orqideas 11 01 17 orqideas 11 01 17
orqideas 11 01 17
0 orquidea 11 01 17