menu
Colunas

Pré - conceito - Kerley Carvalhedo


Data de publicação: 23 de março de 2017
Coluna: Kerley Carvalhedo
Colunista: Kerley Carvalhedo



 


#PRECONTEITONÃO #NEGROSSÃOHUMANOS


Fico impressionado de saber como ainda existe racismo contra os negros no Brasil. Temos muitas coisas boas, músicas de primeiríssima qualidade, praias exuberantes, culinária refinada, jornalismo impecável, futebol e carnaval nem se fala. Somos bons em muitas coisas – mas deixamos outras a desejar.


Uma amiga me contou que estava fazendo compras em um “estado” por aí e depois das compras resolveu ir ao um restaurante, de repente foi barrada logo na entrada. O garçom pediu pra que ela entrasse pela lateral e a conduziu até um lugar reservado nos fundos. Como assim nos fundos? Isso mesmo! – também fiquei indignado com a situação. Perguntei a ela o que tinha feito, ela me disse que àquelas alturas não havia mais o que fazer. Fez a refeição e chispou dali.


Estamos voltando à inquisição ou isto é um caça às bruxas?  Não que minha amiga lindíssima NEGRA seja bruxa- muito pelo contrário; seu carisma e seu humo não se acham em qualquer um por aí, é uma peculiaridade dela. 


Estamos sob o comando de maus gestores e péssimos exemplos de cidadãos brasileiros como muitas empresas e estabelecimentos comerciais. Torço pela punição de todos que agem de má fé com os NEGROS do nosso país. Espero que a lei valha para todos os preconceituosos, sejam lá com quem for, “NEGROS, HOMOSSEXUAIS, TRANS, IDOSOS, DOWN´S, ALBINOS, DEFICIENTES, ETC...” há muitas classes sociais e gêneros que sofrem a desgraça do preconceito do racismo e não fazemos nada.


O neurocientista Carl Hart, primeiro neurocientista negro a se tornar professor titular na Universidade de Columbia (EUA), foi barrado na entrada do hotel Tivoli Mofarrej na quinta feira onde teve o evento onde ele iria palestrar. Segundo uma entrevista publicada no jornal Folha de S.Paulo, após conseguir entrar no hotel, Hart percebeu que era o único negro no auditório composto por advogados e juízes. "Vocês deveriam ter vergonha disso", disse o neurocientista.


“Infelizmente o racismo é uma coisa que se ver no olhar, não se esconde nem a cinco quilômetros de distância.” (Glória Maria)


Aonde vamos para com isso? Sinto vergonha de sermos visto lá fora como RACISTAS PRECONCEITUOSOS.  Isso é uma crítica? É sim, uma AUTOCRÍTICA. Precisamos fazer essa autocrítica entre nós mesmos. Até quando vamos definir caráter pela cor da pele, uma tatuagem, roupa ou estilo?



Kerley Carvalhedo



Pre conceito Kerley Carvalhedo220317 Pre conceito Kerley Carvalhedo220317