menu
Colunas

O Preço. Por Luciane Della Flora


Data de publicação: 10 de abril de 2017
Coluna: Luciane Marangon Della Flora
Colunista: Luciane Marangon Della Flora



 


Tudo na vida tem um preço. Vivemos em um mundo de possibilidades, de injustiça e de valores, sejam eles pagáveis ou não.  A economia brasileira, assim como a de vários países desse mundo globalizado e insano, não vem passando por bons momentos.


São essas imprevisibilidades que proporcionam o crescimento feroz da sensibilidade e da angústia que toma conta de grande parte desses seres, por vezes animados, que nesse mundo habitam. Os murmúrios das inconstâncias são ouvidos até pelos que estão distantes.


Sabemos que a distância nesse século, não é nada. É um fator apenas que pode significar o aumento ou diminuição do preço na vida.


Sobrevivemos às adversidades, especialmente quando a resiliência é soberana à insanidade humana. No entanto, o preço, por vezes, é tão alto que pagamos a conta durante toda uma passagem. Sim, pagar! Pagar e pagar!


A vida cobra e precisamos ser cobrados! Já imaginaram se as cobranças não existissem? Como seria tudo? Como seria o nosso curso da vida?


Talvez você acredite que tudo seria como deveria ser. Nossa vida, afinal, tem o próprio curso, tudo é por alguma razão.


É nesse tudo que existem circunstâncias a valerem à pena, tais como os sonhos e nossos os objetivos mais caros. Esses são essenciais para nossos feitos, para o giro econômico que temos de dar a esse mundo, por vezes pequeno e injusto.


Realizações trazem sensações e essas, perspectivas. Logo, nas prateleiras da vida, sirvamo-nos à vontade, conforme nossas condições “financeiras”. Lembremo-nos que vivemos, em algum momento, época de crise e que independente disso, a vida nos cobra. Portanto, na vida permita-se a negociar e financiar aquilo que almeja, contanto que isso não menospreze o seu viver.



preco preco