menu
Colunas

O Gato - Kerley Carvalhedo


Data de publicação: 8 de janeiro de 2018
Coluna: Kerley Carvalhedo
Colunista: Kerley Carvalhedo



 


No último final de semana fui à casa de um amigo comemorar seu aniversário, éramos um número bem resumido de pessoas, até um convidado ilustre, ou melhor, um penetra aparecer na festa. Era um gato. Um gato mesmo de quatro patas, todinho preto.


Estávamos sentados em volta da piscina quando o felino apareceu do nada. A mulherada queria pegá-lo, mas o gatinho parecia desconfiado daquela gentileza meio nefasta.


Não se sabe de quem era o gato, nem como ele chegou ali, mas provavelmente poderia ter pulado o muro.


O gato agora era centro das atenções, o aniversariante teve que disputar a atenção com o bicho. Alguém da turma teve a solidariedade de colocar um nome no gatinho.


- O que vocês acham de Saraváh?


- Não! É horrível, não combina com ele!


- Eu acho que ele tem cara de Macumba. Pronto, vai ser Macumba!


Enquanto se discutia o nome do bicho, observei que ele só queria comer, pouco importava o nome ia receber desde que tivesse comida estava tudo ótimo.


Dei a ideia de sortearmos um nome, todos toparam. Foram sete nomes aprovados para o sorteio.


- Saiu Sarváh.


- Não, este nome não, vamos sortear outro!


 - Retire esse nome, o coitadinho vai ficar traumatizado.


Mais uma vez aprovamos outro nome que não lembro no momento qual. Ficamos tão distraídos com a eleição de como se chamaria do bicho que não percebemos que ele havia ido embora sem deixar rastros.


- Gente, cadê o gato?


- Ué, ele não estava ali?


Procuramos o gatinho fugitivo. Sem sucesso. Ele desapareceu como num passe de mágica. Com gato ou não, a festa continuou.


E ninguém mais pensou nisso. 


 



 


Kerley Carvalhedo


 



Skorm Skorm