menu
Notícias / Agronegócio

Produtores de Segredo intensificam produção de silagem de milho

Produtores de Segredo intensificam produção de silagem de milho

Data de publicação: 13 de fevereiro de 2017
Hora: 08:33h



 


Agricultores do município de Segredo, que têm na produção leiteira sua base de renda, têm intensificado os serviços de corte do milho para a produção de silagem. O objetivo é estocar alimento de boa qualidade para os animais, principalmente para o período de inverno e mudança de estações, quando a oferta de pastagens perenes ou cultivadas é menor.


A equipe do Escritório da Emater/RS-Ascar está acompanhando e orientando os agricultores para obterem melhores resultados com esta prática. A atividade também recebe apoio da Secretaria Municipal de Agricultura, que cede maquinários, como trator agrícola, ensiladeira, carreta Agrícola Basculante e operador, o que tem sido fundamental, principalmente para os pequenos agricultores.


De acordo com o engenheiro agrônomo da Emater/RS-Ascar, Alencar José Feron, um dos principais pontos a serem observados é o de corte das plantas. “Esse deve ser feito quando os grãos atingirem 2/3 da linha do leite, ou seja, passaram do ponto de consumo como milho-verde. O ideal é ter pelo menos 35% de matéria seca”, explica.


Outro ponto a ser observado é quanto à regulagem da ensiladeira. Para garantir a qualidade da silagem o tamanho das partículas deve variar entre meio e dois centímetros. “Se for maior, dificulta a compactação. E quando tiver tamanho menor, pode prejudicar a digestão do animal”, orienta o extensionista.


Quanto à armazenagem, Feron aconselha estocar a matéria-prima em silos trincheira, feitos de concreto. Segundo ele, além de melhorar a compactação, a estrutura impede a entrada de ar quando o silo é aberto para iniciar o trato dos animais, reduzindo assim as chances da silagem apodrecer ou azedar. O extensionista alerta ainda para os cuidados na hora de compactar, já que o ideal é utilizar trator agrícola, sendo um para o corte e outro para comprimir o alimento. “É importante a compactação seguir o mesmo tempo de colheita. Se demorar duas horas para cortar, o produtor deveria destinar o mesmo período para aglutinar”, finaliza.


Após 21 dias, o alimento está pronto e pode ser consumido pelos animais, sendo que o tempo de conservação pode chegar a três anos. A quantidade a ser tratada para vacas leiteiras, por exemplo, é de 10 a 25 quilos por dia, tendo por complemento ração e pasto verde. Quanto à produtividade por hectare, esta varia entre 30 a 50 toneladas, dependendo da qualidade das sementes, adubação de manutenção e cobertura, manejo das ervas daninhas e condições meteorológicas.


A família do agricultor Laercio Dallanora é uma das que investe na produção de silagem de milho para garantir a alimentação dos animais no período do vazio forrageiro. Na propriedade da família, localizada na Linha Medianeira, existem atualmente 18 vacas em lactação, o que possibilita uma produção média diária de 306 litros, comercializados para a Cosuel.


De acordo com o secretário municipal da Agricultura, Eder Trevisan da Silva, a Prefeitura incentiva a produção de silagem através da patrulha agrícola. No município de Segredo, a produção leiteira abrange 26 produtores(as), sendo produzidos, em média, 3 mil litros de leite por dia.


Por Assessoria de Imprensa Emater/RS-Ascar - Regional de Soledade - Jornalista Carina Venzo Cavalheiro




milhosegredo130217 milhosegredo130217



O DiárioRS não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse, as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.