menu
Notícias / Geral

Frederico Westphalen - Frederico Westphalen - Seminário marca Dia Internacional do Cooperativismo na região Norte do Estado

Frederico Westphalen - Seminário marca Dia Internacional do Cooperativismo na região Norte do Estado

Data de publicação: 4 de julho de 2017
Hora: 10:35h



 


 Na data em que é celebrado o Dia Internacional do Cooperativismo, 1º de julho, a organização do Fórum Regional do Cooperativismo, evento que acontece de forma itinerante a cada três meses na região Norte do Estado, para discussão e construção de alternativas e ações que visam o fortalecimento do cooperativismo regional, propôs a realização do 1º Seminário Regional do Cooperativismo. “O cooperativismo como indutor do desenvolvimento regional” foi o tema central do evento, que aconteceu no último sábado (01/07), no Salão de Atos da Universidade Regional Integrada (URI), em Frederico Westphalen, e reuniu 700 participantes, representantes das cooperativas da região. 


De acordo com os organizadores, o objetivo do Seminário foi aproximar e fortalecer ainda mais as cooperativas regionais, através da realização de um evento único, construído com muitas mãos, que apresenta e divulga quem são e onde atuam as cooperativas. Além disso, o evento buscou dar maior visibilidade ao dinamismo e a força que as cooperativas representam para o desenvolvimento econômico e social da região.


As cooperativas incentivam o empreendedorismo, criam oportunidades de negócio, asseguram a manutenção de empregos nas comunidades e promovem o crescimento das pessoas e das regiões onde estão presentes e são geradoras e distribuidoras de renda. A programação do Seminário iniciou com a apresentação do Coral Santa Cruz, do Distrito de Castelinho, interior de Frederico Westphalen. Para introduzir o assunto e mostrar mais sobre o cenário das cooperativas, no âmbito do Estado, a analista técnica do Sescoop/RS, Ubiracy Barbosa Ávila, falou no primeiro painel sobre o valor agregado do cooperativismo no Rio Grande do Sul e na região. Ubiracy apresentou dados e informações que comprovam a expressão do cooperativismo no cenário gaúcho.


“O cooperativismo é a grande força do RS, no campo e na cidade. Os números do cooperativismo gaúcho consolidam a sua vocação histórica para o desenvolvimento das pessoas e das comunidades”, exclamou a palestrante. Segundo ela, as cooperativas criam e mantêm empregos e remuneram seus associados 20% acima da média. São 126 cooperativas atuando no setor agropecuário, 84 na área de crédito, além das cooperativas que trabalham com outros setores. “Essa região está de parabéns. O cooperativismo trabalha o equilíbrio entre o econômico e o social. A grandiosidade deste evento mostra a força dessa região. Este é mais um exemplo de que quando as pessoas trabalham interligadas pelo cooperativismo, a sociedade se transforma”, concluiu.


O segundo painel apresentado durante o Seminário enfatizou a importância do cooperativismo para o desenvolvimento da região. A coordenadora da Unidade de Cooperativismo da Emater/RS-Ascar, Márcia Faccin, apresentou o resultado de uma pesquisa inédita, contendo os dados econômicos relacionados às cooperativas da região. A apresentação destacou alguns dos resultados mais relevantes, mas o conteúdo na íntegra está disponível com a equipe da Emater/RS-Ascar e na edição de julho da Revista Novo Rural.


A pesquisa computou informações de 25 cooperativas da região, que compreendem os 42 municípios. Em número de associados, a pesquisa revelou que mais de 256 mil pessoas estão ligadas ao setor do cooperativismo. Outro dado que chamou atenção foi quanto à importância das cooperativas de créditos nos municípios da região. “Em 564 municípios do país as cooperativas de crédito são as únicas instituições financeiras nesses locais, dado que representa 10% do número de municípios do país. Na nossa região, que compreende os 42 municípios, as cooperativas de crédito são as únicas instituições financeiras em 15 municípios, o equivalente a 35,7%”, assinalou Marcia. Segundo ela, esse panorama mostra o quanto às cooperativas de crédito tem representatividade para os municípios em todo o país.


A constante evolução do setor do cooperativismo foi outro ponto destaque na pesquisa. De 2012 até o ano passado, as cooperativas evoluíram significativamente, aumentando no número de funcionários e de postos de trabalho. O crescimento do faturamento também surpreendeu. Em 2012, o faturamento das cooperativas fechou em R$ 1,8 bilhões e, em 2016, esse resultado subiu para R$ 3,1 bilhões. Esse crescimento refletiu também nos associados. A distribuição das sobras também sentiu a evolução desse cenário. Somando os números de apenas sete cooperativas, em 2012 foram distribuídos R$ 14,1 milhões entre os associados. Em 2016, esse número subiu para R$ 27,7 milhões.


“O cooperativismo é o sistema mais inclusivo e democrático, que proporciona qualidade de vida às famílias, contribuindo para o desenvolvimento econômico e social. As cooperativas geram renda, geram desenvolvimento e contribuem de forma significativa para o desenvolvimento da região”, finalizou Marcia.


O cooperativismo tem exercido papel importante no desenvolvimento de todo o RS. Na região Norte do Estado, esse cenário vem ganhando destaque, com o crescimento do setor nos últimos anos. A Emater/RS-Ascar atua diretamente nesse cenário, através das equipes que formam as Unidades de Cooperativismo, que trabalham com as cooperativas e associações em todas as regiões do Estado. Para mostrar como o cooperativismo está transformando a vida dos produtores rurais, a Coperametista, cooperativa instalada no município de Ametista do Sul há dez anos, contou sua história de sucesso na produção de vinhos e sucos durante o Seminário.


O presidente da Coperametista, Elton Mezzaroba, apresentou a estrutura da cooperativa. Hoje, a Coperametista recebe a produção de 48 famílias associadas, de Ametista do Sul, Planalto, Alpestre e Rodeio Bonito. São produzidas oito variedades de vinhos tintos e branco. A capacidade de armazenamento e produção de vinhos é de cerca de 200 mil litros. A cooperativa comercializa ainda suco de uva e suco de laranja. Grande parte da comercialização dos produtos da cooperativa é destinada para o mercado institucional, especialmente para a merenda escolar. Com o auxílio da Emater/RS-Ascar, através da Unidade de Cooperativismo, a Coperametista recebe Assistência Técnica, que contempla todo setor administrativo, de gestão, contabilidade e vendas. Esse apoio impulsiona o crescimento da cooperativa e, consequentemente dos seus associados.


A crescente evolução da Coperametista é resultante do trabalho de muitas mãos. O espírito cooperativo ultrapassa as estruturas da cooperativa e percorrem toda a comunidade, local e regional. Em pouco tempo, a cooperativa alcançou números surpreendentes quanto ao faturamento. “Saímos de um faturamento de R$ 70 mil em 2012 e fechamos o ano de 2016 com mais de R$ 1 milhão. Não são apenas os números. Para muitos isso pode representar um faturamento mensal. Mas para nós, esses resultados representam o quanto crescemos e o quanto os nossos associados evoluíram também”, argumentou Elton.


Autoridades da região e do Estado prestigiaram o Seminário. O presidente da Emater/RS, Clair Kuhn, representando o governador do RS, José Ivo Sartori, destacou o trabalho da Instituição frente ao setor, que busca motivar as famílias a permanecerem no meio rural, vivendo com renda e qualidade de vida, cooperando nesse processo. “Estamos aqui para valorizar quem realmente merece, vocês agricultores, os responsáveis pela produção de alimentos, as verdadeiras riquezas do nosso país. O melhor negócio do mundo é produzir alimentos e o cooperativismo vem para fortalecer e garantir a comercialização e a geração de renda. São benefícios que retornam ao município, refletem na região e em todo o Estado”, salientou Kuhn.


O presidente da Sicredi Alto Uruguai RS/SC, Eugênio Poltronieri, falou em nome de todas as cooperativas da região. “Hoje estamos dando o exemplo do verdadeiro cooperativismo, trazendo lideranças para refletir e conhecer sobre as cooperativas da nossa região. Mas não basta apenas vir e aprender, é preciso ter a atitude de disseminar essas informações em cada município, mostrar para todos o quanto as cooperativas agregam na comunidade. O nosso desejo hoje é que a construção do cooperativismo continue crescendo e fazendo a diferença”, declarou Poltronieri.


O prefeito de Frederico Westphalen, José Alberto Panosso, o coordenador regional da Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), Jocelar Berté, o presidente da Assembleia Legislativa do RS, Edegar Pretto, o presidente do Fórum Regional do Cooperativismo, Loreno Cerutti, o diretor da Universidade Regional Integrada (URI), campus de Frederico Westphalen, Clóvis Quadros Hempel, o gerente do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Frederico Westphalen, Francisco Frizzo, e demais lideranças, participaram do evento.


A programação do Seminário Regional do Cooperativismo encerrou com o almoço servido no salão da capela do bairro Aparecida. A ação social do Dia C, proposta para o evento, foi a doação de alimentos não perecíveis pelos participantes. Ao todo, 550 quilos de alimentos foram recolhidos e serão doados a hospitais da região. A Creluz também desenvolveu uma ação no dia do evento. Centenas de mudas de árvores nativas e frutíferas foram distribuídas aos participantes do Seminário.



Marcela Buzatto/AIP




838 FW Semin rio Regional do Cooperativismo 2 838 FW Semin rio Regional do Cooperativismo 2
838 FW Semin rio Regional do Cooperativismo 2
838 FW Semin rio Regional do Cooperativismo site



O DiárioRS não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse, as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.