Grossi Combustiveis
Follow - Liv - G8 Pub
Cresol Sarandi
Cesurg Sarandi
  • Grossi Combustiveis
  • Cesurg Sarandi
  • Follow - Liv - G8 Pub
  • Cresol Sarandi
  • Teloken Engenharia LTDA
  • Farmácia Nossa Senhora de Fátima
  • Rembecker Estruturas Metálicas
  • Gostinho Della
  • Clínica Estética Vitallitá
  • Parada Obrigatória Consultoria e Assessoria de Multas de Trânsito
  • Cotrisal
  • VS Gráfica Expressa
  • Rômulo De Cezaro
  • Signomar Comércio de Bebidas
  • Casarotto Imóveis
  • Restaurante 4 Ases
  • Sicredi
  • Barbearia Da Luz
  • Bortoluzzi Odontologia
  • Fornari Advogados Associados
  • Milani Corretora de Seguros
  • Taura Auto Peças
  • Drággon Artigos Esportivos
  • Laboratório Sarandi
  • X & Cia
  • Barbearia 84
  • Home
  • Cidades
  • Barra Funda
  • Barra Funda - Celebração comunitária: momento de espiritualidade, diversidade e reflexão

Siga nossa página

Barra Funda - Celebração comunitária: momento de espiritualidade, diversidade e reflexão

 

A violência é um grave problema social, político e cultural que tem se intensificado nos dias de hoje. Ela se apresenta de diferentes formas, em vários ambientes e situações. Construir a fraternidade, promovendo a cultura da paz, da reconciliação e da justiça, a partir da reflexão das causas dos diferentes formatos de violência é uma possibilidade de construir coletivamente caminhos de superação da violência.

Nesse sentido, aconteceu na Escola Zandoná na noite do dia 28 de abril de 2018 a Celebração Comunitária. Junto à comunidade buscou-se refletir sobre o sentido da Páscoa oportunizando um momento de espiritualidade com um olhar a cerca da Campanha da Fraternidade 2018, com o tema: Fraternidade e superação da violência e lema: “Em Cristo somos todos irmãos”.

Momentos de reflexão que provocam dores, mas principalmente possibilidades e esperança. Nesse momento e espaço a diversidade religiosa se fez presente.

A Escola contribui para problematizar toda e qualquer injustiça social. Nesse sentido, as alunas da EJA fizeram a acolhida à celebração com o Hino da Campanha da Fraternidade

Na sequência, 6º e 7º anos conduziram a comunidade no caminho pelo bosque, iluminado por tochas, as cenas de violência simbólica, cultural, estrutural, doméstica feitas pelos estudantes que sensibilizaram para o tema da VIOLÊNCIA.

O Noturno representou uma passagem do texto Bíblico em que Jesus anuncia uma nova moralidade as multidões e aos discípulos. “O que vem de fora não torna o homem pecador, e sim o que sai do coração é o que o torna impuro”.

Os alunos do Ensino Médio diurno mostraram os sinais de morte hoje, algumas cenas de violência naturalizadas pela sociedade e pouco questionadas.

O 3º ano mostrou a primeira chicoteada em Jesus: VIOLÊNCIA INSTITUCIONAL promovida pelos governos e demais poderes que afetam a sociedade: diminuição de salários, altos impostos, projetos contra a agricultura e meio ambiente, desemprego, criminalização dos movimentos sociais, produção da miséria, diminuição do salário mínimo. Sistema econômico, político e judiciários fortalecido pelos meios de comunicação de massa, destroçando e sangrando o corpo do trabalhador, do agricultor, do assalariado. A repressão social nos lembra o exército de Pilatos.

A segunda chicotada em Jesus foi representada pelos alunos da 201: VIOLÊNCIA DO NARCOTRÁFICO. Enquanto os traficantes dominam territórios e lucram junto as milícias, o Estado ou se omite ou promove mais violência. O dinheiro do tráfico financiando campanhas de políticos brasileiros. Os pobres, negros, favelados, usuários das drogas, são presos, jogados nas prisões que jamais vão recuperá-los, destroem suas vidas e laços familiares e são levados ao submundo do crime. São geralmente os únicos culpabilizados. O resultado da guerra às drogas produziu a morte de pessoas inocentes incluindo inúmeros policiais e, principalmente, veio a potencializar o lucro da indústria armamentista.

A terceira chicoteada foi a VIOLÊNCIA DOMÉSTICA, mostrada pelos estudantes da 101. A agressão naturalizadas contra a mulher, contra o idoso, contra a criança é uma prática infelizmente corriqueira e o agressor, geralmente é um familiar. Abuso sexual e feminicídio são atos bárbaros que desumanizam e precarizam vidas. Causam chagas profundas. Somado a isso o ódio ao outro em função da sua orientação sexual. A média de mortes ligadas à homofobia passou de um assassinato por dia. Até quando a não aceitação do diferente e o machismo vão fazer parte da nossa prática de vida e por em dúvida nosso amor à Deus?

JESUS sofre na cruz e é crucificado.

Eis que a Lenda indígena, que explica o surgimento das estrelas faz ressurgir, renascer a esperança.

Jesus ressuscita refletido no amor, nas diferenças, no oprimido, e junto dele outras crenças trazem a boa nova e a diversidade. A espiritualidade de outros povos são representados na figura de Iemanjá, sol e lua.

As crianças finalizaram a celebração com uma linda música que emocionou a todos que estavam presentes.

 

foto 1 barra

 

Julie Tomazi - AIP

 


CLIQUE AQUI, curta a Fan Page do site e fique informado sobre as notícias da região.

O DiárioRS não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse, as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

  • Estação Fitness
  • Confecções Helenice
  • SCT Construtora e Incorporadora LTDA
  • Revista Spelho
  • Drago Restaurante e Pizzaria
  • Eficaz
  • Vimesq