Cesurg Sarandi
Cresol Sarandi
Follow - Liv - G8 Pub
Grossi Combustiveis
  • Cresol Sarandi
  • Grossi Combustiveis
  • Cesurg Sarandi
  • Follow - Liv - G8 Pub

Siga nossa página

A Terapia Cognitivo Comportamental.Por Consuelo Pasqualotto

Olá pessoal. Estou estreando hoje aqui no site DiárioRS começo agradecendo ao Joel pelo espaço para conversarmos sobre questões da psicologia, do comportamento, dos afetos e dos pensamentos do ser humano.

A psicologia tem vários formatos em seu fazer. Dentro destes inicio falando sobre uma linha teórico/prática que está ganhando cada vez mais visibilidade e credibilidade pelos resultados alcançados em psicoterapia nos diferentes quadros psicopatológicos e na qual estou me especializando: A Terapia Cognitivo Comportamental.

cognitivo

Um pouco de história: os princípios fundamentais da TCC – Terapia Cognitivo Comportamental foram ligados a idéias descritas pela primeira vez há milhares de anos. Os filósofos estóicos Epíteto, Cícero, Sêneca, entre outros, 2 mil anos antes da introdução da TCC abordavam os elementos cognitivos desta perspectiva. O estóico grego Epíteto, por exemplo, escreveu em seu Enchiridion que “os homens não se perturbam pelas coisas que acontecem, mas sim pelas opiniões que tem sobre as coisas”. Também nas tradições filosóficas orientais, como o taoísmo e o budismo, a cognição é considerada como uma força primária na determinação do comportamento humano. Em seu livro “Uma ética para o novo milênio”, o Dalai Lama observou que “se pudermos reorientar nossos pensamentos e emoções e reorganizar nosso comportamento, então poderemos não só aprender a lidar com o sofrimento mais facilmente, mas, sobretudo, e em primeiro lugar, evitar que muito dele surja”. Outro que se pode citar é o filósofo persa da antiguidade Zoroastro que baseou seus ensinamentos em três pilares principais: pensar bem, agir bem e falar bem. Durante os séculos XIX e XX, filósofos europeus – incluindo Kant, Heidegger, Jaspers e Frankl – continuaram a desenvolver a idéia de que os processos cognitivos conscientes têm um papel fundamental na existência humana. Frankl (1992), por exemplo, afirmou persuasivamente que encontrar uma sensação de sentido da vida ajudava a servir como um antídoto para o desespero e a desilusão (Victor Frankl foi prisioneiro de campos nazistas). E, na América, Aaron Beck foi a primeira pessoa a desenvolver completamente teorias e métodos para aplicar as intervenções cognitivas e comportamentais a transtornos emocionais. Embora com formação psicanalítica, seus trabalhos foram influenciados por vários analistas pós-freudianos como Adler, Horney e Sullivan. O foco destes nas auto-imagens distorcidas pressagiava o desenvolvimento de formulações cognitivo-comportamentais mais sistematizadas dos transtornos psiquiátricos e da estrutura da personalidade. Por exemplo, sobre a depressão, Beck descreveu uma conceitualização cognitiva na qual os sintomas estavam relacionados a um estilo negativo de pensamento em três domínios: si mesmo, mundo e futuro, chamado então de “a tríade cognitiva negativa”.

As pesquisas na área da TCC – terapia cognitivo comportamental - estão cada vez mais extensivas e demonstram a eficácia de uma abordagem combinada que utiliza técnicas cognitivas (para modificar as cognições) com métodos comportamentais (para modificar os comportamentos). Dentro da área psiquiátrica a TCC é a tratamento de escolha para a maioria dos transtornos.

O mundo mudou nas últimas cinco décadas e como conseqüência natural desse processo os problemas psicológicos do homem também sofreram transformações o que exige dos profissionais constantes atualizações. Aquilo que era um núcleo de problemas para as mulheres do século passado hoje já não é mais, hoje são outras as facetas da depressão, da ansiedade, por exemplo. Isto faz com que busquemos tratamentos complementares e ou novos tratamentos que sejam e estejam mais adequados a realidade das pessoas. 

DiárioRS

CLIQUE AQUI, curta a Fan Page do site e fique informado sobre as notícias da região.

O DiárioRS não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse, as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.