Follow - Liv - G8 Pub
Cresol Sarandi
Grossi Combustiveis
Cesurg Sarandi
  • Cresol Sarandi
  • Cesurg Sarandi
  • Grossi Combustiveis
  • Follow - Liv - G8 Pub
  • Taura Auto Peças
  • Barbearia Da Luz
  • Rômulo De Cezaro
  • Bortoluzzi Odontologia
  • Gostinho Della
  • Teloken Engenharia LTDA
  • X & Cia
  • Clínica Estética Vitallitá
  • Parada Obrigatória Consultoria e Assessoria de Multas de Trânsito
  • Sicredi
  • Signomar Comércio de Bebidas
  • Milani Corretora de Seguros
  • Cotrisal
  • Drággon Artigos Esportivos
  • Laboratório Sarandi
  • Rembecker Estruturas Metálicas
  • Casarotto Imóveis
  • Fornari Advogados Associados
  • Restaurante 4 Ases
  • Barbearia 84
  • Instituto Vida NOva
  • Farmácia Nossa Senhora de Fátima
  • VS Gráfica Expressa
  • Home
  • Notícias
  • Eu No Diário – Sarandienses realizam "Viagem mágica ao Peru"

Siga nossa página

Eu No Diário – Sarandienses realizam "Viagem mágica ao Peru"

No quadro Eu No Diário desta semana vamos conferir uma viagem mágica e impressionante que as Sarandienses Rose Moraes e sua filha, a jovem Marina Gomes de Moraes Sassi realizaram pelo Perú, nos dias 11 a 19 de janeiro.

O Peru é um país sul-americano localizado no hemisfério sul ocidental, seu território é banhado pelo oceano Pacífico a oeste, limita-se ainda ao sul com o Chile; a leste, com o Brasil e a Bolívia; e a norte, com o Equador e a Colômbia.

O território do país abrange uma área de 1.285.216 km², onde vivem cerca de 29 milhões de habitantes. O país apresenta ao longo de sua superfície uma grande variedade de paisagens, variando em planícies, na costa do Pacifico; picos elevados, na Cordilheira dos Andes; e a Floresta Amazônica, no leste. O Peru abriga o lago navegável mais alto do mundo, o Titicaca, com 3.821 metros de altitude.

O relacionamento entre o hispânico e as culturas índias determina muito da  expressão cultural da nação. Durante a época pré-colombiano, o Peru era um dos centros principais da expressão artística na América. As culturas Pré-Incas, tais como Chavín, Paracas, Nazca, Chimú, e Tiahuanaco, desenvolveram uma cerâmica de qualidade elevada, têxteis e escultura. 

Os Incas continuaram a manter estes ofícios alcançando realizações ainda mais impressionantes na arquitetura. A cidade de Machu Picchu e os edifícios em Cuzco são exemplos excelentes do desenvolvimento da arquitetura Inca.

Abaixo podemos conferir o roteiro percorrido por mãe e filha durante os dias da viagem e também um relato feito por elas de cada local visitado.

000pia de 13

Destino e roteiro em preto. Observações em Azul.

1o dia, 11/01 – sexta-feira - Porto Alegre/Lima – Apresentação no Aeroporto Salgado Filho para embarque com destino a Lima. Chegada e transfer para hotel e pernoite. Livre. - Ficamos no bairro de Lima chamado Miraflores, é um bairro pra turismo, lá todos os bairros são como distritos e tem sua própria prefeitura, acredito que isso contribua pro grande contraste entre os bairros, esse era muito rico, e alguns são muito pobres. Atualmente Lima tem uma prefeita mulher, é a primeira da cidade, mas o povo não está gostando muito dela. Lá eles tem tradição em ser muito ativos, eles deporam presidentes (2 ainda estão presos por corrupção) achamos isso um exemplo pros brasileiros.
2o dia, 12/01 – sábado - Lima – City Tour Panorâmico. Tarde livre. Visitamos a praça das armas, igrejas... Lima é a cidade mais moderna do peru, lá não chove e mesmo assim os (muitos) parques são impecavelmente verdes e bem cuidados, com flores que são cultivadas em um viveiro da própria prefeitura. A arquitetura é moderna, com influências árebes e colonial, com as sacadas de madeira. Outra curiosidade foi que aos sábados a noite tem uma espécie de festa nos parques, onde eles tocam musica tipica peruana, e tem muita gente de todas as idades na rua participando. A comida de rua lá é muito boa também.
 
3o dia, 13/01 – domingo - Lima/Juliaca – Transfer e voo a Juliaca. Receptivo no aeroporto de Juliaca e traslado ao hotel em Puno. (TACA 003 – LIM/JUL – 09:35/11:15)
 
4º dia, 14/01 – segunda-feira - Puno - Visita às ilhas flutuantes de Los Uros. Tarde Livre. Sugerimos Visita a Sillustani. Puno foi a cidade em que nós mais podemos observar a cultura do povo peruano. O respeito de todos pelas abuelitas (mulheres com mais de 80 anos), eles cumprimentam e dão suporte a essas mulheres, independente de conhecerem ou não. O povo é mais fechado do que Lima, mas quando se conquista eles, demonstrando educação, eles se mostram abertos a dividir a sua história. Lá o povo anda com os trajes típicos peruanos, as meninas ja andam com o cabelo preso em duas tranças, a cultura é extremamente presente na vida daquela cidade. Tivemos a sorte de ver uma festa religiosa, gigante, acho que praticamente toda cidade estava lá, tinham bandas de várias cidades, encenações sobre passagens bíblicas e no final um ensaio de pré-carnaval, com as meninas de saia e top, num frio de uns 6ºC, tudo feito com muito capricho, pela própria população. Os peruanos adoram esse tipo de festa.
 
Sobre Los Uros, as ilhas flutuantes são feitas de xaxim e um junco chamado de totora, que também serve de alimentação para os nativos. Eles nascem e vivem a vida inteira nas ilhas, os homem pescam e as mulheres cuidam da manutenção da ilha e fazem artesanato, atualmente as ilhas já tem escola e posto de saúde. Há pouco tempo esse povo foi considerado peruano (antes eles não tinham nacionalidade definida), então eles ganharam terras, essas terras servem de cemitério e alguns idosos moram lá por sofrerem de artrose. São muitas ilhas, cada uma tem um prefeito, tem uma ilha capital, com maior infraestrutural. Se as famílias de uma ilha brigam, eles simplesmente cortam a ilha ao meio, ficando cada um de um lado. A alimentação dele é basicamente peixes (truta principalmente) e batatas desidratadas, eles trocam produtos com os povos da península do titicaca. O povo peruano fala duas línguas: Quchua ou Aymara, que são línguas locais e espanhol.
 
Também em Puno nós visitamos Sillustani. Um cemitério pré-inca, mas também utilizado por incas e espanhóis, fica a 4100m de altitude e é circundado pelo lago Umayo (coloquei essas infos na legenda), são torres circulares, as incas chegam a ter 12m. É um dos lugares mais bonitos da viagem, não tem palavras para descrever a sensação que dá ver aquele local, para qualquer lugar que se olhe é lindo, o lago, as torres, toda a natureza. É muito difícil subir até lá, pela altitude, mas ao chegar tu vê que tudo valeu a pena.
 
5o dia, 15/01 – terça-feira – Puno/Cuzco – Transporte rodoviário a Cuzco, visitando ruínas incas. Chegada no final da tarde e acomodação em hotel. Esse caminho é o feito pelo primeiro inca Manco Capac, ele nasceu no lago titicaca junto com sua irmã e esposa  Mama Ocllo, e eles fizeram esse caminho até Cusco segundo a lenda, ele acompanha um rio, tem ruinas como a de Wiraqocha (tem foto), tem também o ponto mais alto da viagem (La Raya), onde ao fundo pode-se ver uma geleira.
 
6o dia, 16/01 – quarta-feira - Cuzco – Tour em Cuzco e Conjunto de 4 Ruínas. 
 
7° dia, 17/01 - quinta-feira – Cuzco/Vale Sagrado/Cuzco/Águas Calientes - Tour Full Day ao Vale Sagrado dos Incas, com visita ao complexo arqueológico de Ollantaytambo e visita às ruínas ou feira indígena de Pisac. Viagem em trem a Águas Calientes. Instalação em hotel.
 
8o dia, 18/01 – sexta-feira – Águas Calientes/Machu Picchu/Cuzco - Tour guiado por Machu Picchu, Patrimônio Natural e Cultural da Humanidade e considerada uma das 7 Maravilhas do Mundo. À tarde retorno à Cuzco. As 4 ruínas citadas fazem parte do que foi Cusco na época inca (que tinha certa de 150 mil habitantes), são templos dedicados a trilogia Inca (Condor, Puma, Serpente), templos de mumificação e o "Chuveiro dos Incas" que era um ponto de descanço para viajantes e lugar para rituais com água.
 
É muito difícil falar sobre Machu Picchu, porque além de tudo que se vê por fotos, uma cidade completamente intocada, que os espanhóis não encontraram e por isso não tentaram colonizar, existe toda a sensação da chegada, o ar de lá e o sentimento de estar em algo tão grandioso que não se pode mensurar, se vê essa cidade com os olhos e o coração. Porque se pode sentir como era a vida lá, qual era a rotina, o que as pessoas faziam, se sente a energia da cidade e a força de uma civilização que dominou um território imenso em menos de 100 anos. 
 
9° dia, 19/01 - sábado – Cuzco/Lima/Porto Alegre – No momento oportuno translado ao aeroporto e voo a Lima com conexão ao Brasil
 
As maiores lições da viagem foi as que tivemos como o povo de lá. Do passado e do presente, é um povo muito trabalhador e íntegro, que ajuda um ao outro, inclusive tendo como lema uma palavra em Quchua chamada Ayni, que significa reciprocidade, isso fica claro nas cidades menores, que tem como fonte de renda a agricultura, lá todos trabalham na terra de todos, se ajudando, cada dia em uma, retribuindo sempre a ajuda do próximo. Além disso, o respeito pelos mais velhos, porque eles representam a sabedoria e a história do povo e por isso sempre são ouvidos e levados em consideração e jamais são abandonados pela família. 
 
Um dos nossos guias nos explicou as 3 leis incas, 1º Poder do afeto e amor: respeito pela dualidade, pelo homem e a mulher. 2º Poder criativo de trabalho: usar a criatividade e a imaginação, pensar antes de fazer as coisas, projetando-as para o futuro. 3º Poder do conhecimento e sabedoria: respeito aos grandes mestres, chamados Amaltas.
 
O título de Amalta ainda é dado pelo presidente do Peru aos Professores que se destacam na produção de conhecimento. A partir destas 3 leis acredito que se pode entender a filosofia de vida dos Peruanos e como o Reinado Inca conseguiu construir tantas coisas sem fazer guerra, apenas unificando o conhecimento de diferentes povos.

{phocagallery view=category|categoryid=540|limitstart=0|limitcount=0|bgcolor=#333333}

Fotos - Arquivo pessoal

Legendas:

1.Lima - Parque do Amor em Lima, o parque mais conhecido da cidade. Inspirado nas obras de Gaudí.

2.Puno - Los Uros: Ilhas flutuantes do Titicaca.

3.Puno- Início da Reserva do Lago Titicaca, a cidade de Puno fica dentro da reserva.

4.Puno: Festa religiosa e pré-carnaval em Puno, com mais de 3000 músicos.

5.6.7.8. 9.Cemitério Inca e pré-inca Sillustani: 

10. Templo de Wiraqocha. No caminho entre Puno e Cusco, esse caminho foi feito pelo primeiro inca Manco Capac, os incas povoaram toda essa área. Nesse lugar moravam sacerdotes e as virgens escolhidas que eram sacrificadas em rituais para a mãe terra. Além disso, esse lugar continha vários silos, servindo de estoque para todos os povoados incas, todos alimentos que sobravam nos povoados eram levados para esse lugar, e então redistribuídos para os lugares em que havia necessidade de mais alimento.

11. Cusco – Templo do Sol:

12. Mercado municipal de Cusco.

13. Machu picchu

Os leitores podem colaborar com o conteúdo da DiárioRSatravés do Eu no Diário enviando notícias e fotos de acontecimentos que sejam relevantes para a região ou divulgar imagens de fatos, viagens ou acontecimentos em família ou com amigos que gostariam de compartilhar com os demais leitores.

 Faça como a Rose e a Marina, CLIQUE AQUI e envie o seu material.

DiárioRS

CLIQUE AQUI, curta a Fan Page do site e fique informado sobre as notícias da região.

O DiárioRS não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse, as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

  • Drago Restaurante e Pizzaria
  • Estação Fitness
  • Vimesq
  • Revista Spelho
  • Eficaz
  • SCT Construtora e Incorporadora LTDA
  • Confecções Helenice