Grossi Combustiveis
Cresol Sarandi
Cesurg Sarandi
Follow - Liv - G8 Pub
  • Follow - Liv - G8 Pub
  • Cresol Sarandi
  • Cesurg Sarandi
  • Grossi Combustiveis
  • X & Cia
  • Bortoluzzi Odontologia
  • Fornari Advogados Associados
  • Teloken Engenharia LTDA
  • Casarotto Imóveis
  • VS Gráfica Expressa
  • Cotrisal
  • Laboratório Sarandi
  • Barbearia 84
  • Farmácia Nossa Senhora de Fátima
  • Milani Corretora de Seguros
  • Clínica Estética Vitallitá
  • Rembecker Estruturas Metálicas
  • Taura Auto Peças
  • Drággon Artigos Esportivos
  • Gostinho Della
  • Signomar Comércio de Bebidas
  • Home
  • Notícias
  • Cultura
  • Historias de Sarandi - Crônica baseada num fato real."Cizico": Uma lição de vida

Siga nossa página

Historias de Sarandi - Crônica baseada num fato real."Cizico": Uma lição de vida

Em 1947 na cidade de Sarandi, ao norte do Rio Grande do Sul, havia uma população de 4 a 5 mil pessoas, com muito barro por ocasião das chuvas e poeira demais sem elas, sem água encanada, luz elétrica precária, a maioria das residências eram feitas de madeira inclusive a Escola Santa Gema Galgani de doces lembranças e  dedicadas mestras; de concreto, o pequeno Grupo Escolar Dr. João Carlos Machado, o clube social Harmonia, {seu rival no futebol, meu simpático Ipiranga, que até hoje bate pregos na madeira}, uma enorme igreja que dominava a cidade desde 1928 pelo porte e pelos seus ministros que, em nome de Deus, comandavam e fiscalizavam as principais ações da sociedade local e um cinema em construção; cinema que viria a ser um dos melhores focos de entretenimento, mais o futebol, além do rio Caturetê, alcançável em lépidos e prazerosos dez minutos, para banhos e pescarias e outras brincadeiras mas também local do árduo trabalho de prestativas lavadeiras.

Naquele ano a Brigada Militar transferiu de Passo Fundo para Sarandi o soldado Manuel Assis de Oliveira que pitava longos palheiros, tinha grande paixão por galos de rinha, mas, seu maior prazer estava mesmo nas pescarias de caniço. Homem de pouca cultura, contudo de muita inteligência, perspicácia e senso de humor, logo que tomou conhecimento de que a prefeitura local estava procurando um capataz para comandar o início do calçamento das ruas, rápido inscreveu-se como pretendente e, por qualidades ou por sorte, foi o escolhido. Mas havia um empecilho, pensaram todos: “A Brigada vai te “colocar na rua” assim que souber do “bico” que conseguiste”. Então “Cizico” {este viria a ser seu apelido} argumentou: “Ora, gente! De que modo vou fazer calçamento se não me colocarem na rua?.

Mais tarde, quando novamente interpelado: “Tu vais largar a B.M. pelo calçamento?”. Ele, já revelando uma nascente filosofia, mas, o melhor de tudo, sabendo objetivamente bem o que queria da vida, mastigando seu pingente e fumacento palheiro respondeu pachorramente: “Soldado trabalha com ou sem chuva, mas calçamento não se faz com chão encharcado, então quando chover eu aproveito e vou pescar!”( Artur F. W. Biavatti)

sarandi antigo

sarandi antigo 02

Fotos/Rogerio Machado

Por Artur F. W. Biavatti

 DiárioRS

CLIQUE AQUI, curta a Fan Page do site e fique informado sobre as notícias da região.

O DiárioRS não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse, as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

  • Drago Restaurante e Pizzaria
  • Revista Spelho
  • SCT Construtora e Incorporadora LTDA
  • Confecções Helenice
  • Estação Fitness
  • Eficaz