Cresol Sarandi
Cesurg Sarandi
Follow - Liv - G8 Pub
Grossi Combustiveis
  • Grossi Combustiveis
  • Follow - Liv - G8 Pub
  • Cresol Sarandi
  • Cesurg Sarandi
  • Barbearia Da Luz
  • Fornari Advogados Associados
  • Teloken Engenharia LTDA
  • Casarotto Imóveis
  • Drággon Artigos Esportivos
  • Taura Auto Peças
  • Instituto Vida NOva
  • Sicredi
  • VS Gráfica Expressa
  • Laboratório Sarandi
  • Barbearia 84
  • Parada Obrigatória Consultoria e Assessoria de Multas de Trânsito
  • Gostinho Della
  • Restaurante 4 Ases
  • Rômulo De Cezaro
  • Cotrisal
  • Milani Corretora de Seguros
  • X & Cia
  • Clínica Estética Vitallitá
  • Rembecker Estruturas Metálicas
  • Bortoluzzi Odontologia
  • Farmácia Nossa Senhora de Fátima
  • Signomar Comércio de Bebidas

Siga nossa página

Sarandi - Sargento Sandro Jacobi Ferreira fala sobre o trânsito em Sarandi

Como o CMT atua para determinar como é estabelecido o sistema de estacionamento nas ruas centrais de Sarandi (Oblíquo ou Paralelo)?

A maneira correta de estacionamento, conforme especifica a Lei 9.503/97, é o estacionamento paralelo ao meio fio da calçada; mas há possibilidade de ser colocado em determinada via o estacionamento oblíquo, isso após estudo prévio das necessidades, levando-se em consideração a circulação média de veículos e pedestres e a largura da via; onde verificada a possibilidade e a necessidade real, deve o poder executivo, através de seu Departamento Municipal de Trânsito, encaminhar para aprovação no poder legislativo, projeto de lei; ao ser aprovado deve ser o local sinalizado com placa vertical e sinalização horizontal (no leito da via). Para tanto, observamos que em nossa cidade nenhum estacionamento oblíquo é regulamentado.

Portanto, cabe ao Departamento Municipal de Trânsito analisar e estabelecer tais critérios; como atualmente nossa cidade não possui o Departamento de Trânsito, este estudo não foi realizado, tanto que o estacionamento permanece de forma irregular, principalmente na área central.

São os membros do CMT que decidem, ou os moradores ou proprietários são ouvidos?

Neste caso do estacionamento, devido aos princípios técnicos que devem ser analisados, como anteriormente, não cabe consulta popular e nem mesmo a decisão ou citação dos moradores, até por que o estabelecimento do estacionamento oblíquo em uma via precede-se como vimos de uma análise aprofundada de fatores diversos. Já ao CMT cabe deliberar orientações técnicas às solicitações, quando for provocado pelo poder público, por entidade jurídica ou por qualquer cidadão; que digam respeito à legislação de trânsito propriamente dita; quando tratar-se de estudo técnico como é o caso, o Departamento Municipal de Trânsito deverá através de assessoria de profissional de engenharia de tráfego, realizar o estudo e implantar as medidas. Este estudo deverá ser realizado pelo Departamento Municipal de Trânsito, quando criado, obedecendo-se as obrigações direcionadas ao mesmo conforme o Artigo 24 da lei 9.503/97.

Na sua opinião, os motoristas de Sarandi já acostumaram com a rótula e sabem como transitar por aquele entroncamento?

Em sua grande maioria, estão acostumados com a rótula; o que existe são alguns motoristas imprudentes, que muitas vezes motivados pela ânsia de chegar mais rápido em determinado local, ou por não ter paciência em aguardar a sua vez, cometem infrações de trânsito e desrespeitam a preferência de quem já está na rótula.

Algumas pessoas defendem a idéia, da instalação de sinaleiras no centro da cidade, em alguns pontos; na sua opinião, essa seria a melhor maneira de controlar o trânsito nos locais de maior fluxo?

Em minha opinião, a colocação de semáforos em nossas vias, não é a atitude mais correta, até porque nosso município não possui abrangência de uma frota tão grande, com movimento tão intenso e vias que possam comportar tais aparelhos, cuja instalação e manutenção em cidades do porte de Sarandi, não justificam em parte sua instalação, sendo que em muitas cidades com as mesmas características da nossa, estão sendo abolidos. É diferente você pensar em uma via com grande movimentação de veículos, como temos cidades maiores, onde tais dispositivos são necessários, não somente para conter o desrespeito à preferência, mas sim também organizar um trânsito intenso e muitas vezes caótico.

Há dispositivos de sinalização e contenção, que seriam mais úteis e viriam a auxiliar a educação de alguns motoristas que teimam em desrespeitar a sinalização, o direito alheio, colocando em risco a sua integridade e de terceiros.

Porquê em algumas ruas, como a Rua Arminio da Silva, em um lado o estacionamento é paralelo e no outro, é oblíquo?

Como vimos anteriormente, não há em Sarandi nenhum estacionamento oblíquo regulamentado; o que ocorreu como na citada via, foi um ato do poder público em minimizar o tráfego e estacionamento naquele local, de forma precária; inclusive foi deliberado pelo CMT há algum tempo, que tais situações fossem regularizadas; com a criação do Departamento Municipal de Trânsito, o que já é mais do que urgente, estas situações terão obrigatoriamente de serem regularizadas. Também há de se observar, que em uma determinada rua da área central, foi devidamente sinalizado o estacionamento paralelo em ambos os lados, conforme reza a legislação, porém, alguns moradores do local, realizaram a pintura oblíqua de um lado da via de maneira autoritária, totalmente irregular, ilegal e de forma a usurpar uma função que é do poder público municipal.

Muitos vão ao trabalho e deixam o veículo estacionado, quase todo o dia no mesmo local; algumas pessoas sugerem o estacionamento pago; o CMT já recebeu alguma sugestão nesse sentido?

Principalmente é um fator de conscientização destas pessoas de que o trânsito é público, o espaço de estacionamento na via é público, portanto, deveriam utilizar-se do bom senso e encontrarem outros locais próximos para estacionarem seus veículos. Até porque geralmente são pessoas que trabalham nestes estabelecimentos e que sem perceberem, estão prejudicando seus clientes, diminuindo por vezes sua clientela, que acaba por falta de estacionamento, desistindo de ir a determinado estabelecimento.

Desde que o cidadão estacione de forma correta, não há nada que o impeça de estacionar na via pública, por isso, chegamos à conclusão por ser uma atitude de consenso e altruísta por parte de alguns usuários, em não permanecerem com seus veículos, estacionados durante todo o período, onde poderia ser utilizado por todos.

É flagrante observarmos que a frota de veículos em nosso município, cresce a cada dia, que há problemas diversos não só de estacionamento e sinalização em nossa cidade, mas de educação de alguns motoristas e pedestres; ações que trazem malefícios a toda a sociedade.

Todos devem ter consciência, que o trânsito nas vias públicas, como o próprio nome indica, é público, direito de todos, e não de uma minoria em detrimento dos demais. Acredito que sim, o estacionamento pago será daqui a algum tempo, um mal necessário na área central de nossa cidade; como vimos anteriormente, é de suma importância à realização de uma reestruturação embasada em estudo técnico, do estacionamento, sinalização e circulação em nosso município, principalmente na área central. Que conforme se observa facilmente, o aumento crescente na frota de veículos, o progresso que Sarandi vem alcançando de forma rápida e o crescimento demográfico de nossa população, vão sem sombra de dúvidas em um futuro próximo, exigirem cada vez mais inovações e soluções em curto prazo.

Dentre estas também poderá ser, após a reestruturação geral do trânsito, na colocação de estacionamento rotativo pago na área central, inclusive sendo uma forma de fazer com que as pessoas que estacionam seus veículos por longo período em determinado local, pensem duas vezes antes de fazê-lo.

Como está composta a direção do CMT e quando acontecem as reuniões deste órgão?

Em um primeiro momento, devemos entender o que é o Conselho Municipal de Trânsito; o qual foi criado em Sarandi pela Lei Municipal número 2.519 de 21 de Julho de 1994; é um colegiado com atribuições “consultivas”, ou seja, ele delibera, orienta ou informa quando provocado por órgãos públicos, privados ou pessoas físicas, concernente a dúvidas ou solicitações referentes ao trânsito do município, tudo embasado na legislação em vigor; tais deliberações são à luz da legislação; quando tratar-se de estudo, análise ou deliberação de área técnica, como Engenharia de Tráfego, não cabe ao CMT se manifestar. Vale salientar que o atual conselho não é o primeiro, e que ele já existe de fato em nosso município há muitos anos; e que não é um órgão executor, como deve ser o Departamento Municipal de Trânsito, órgão do poder executivo municipal, que possui atribuições legais para executar atos necessários, conforme o artigo 24 da Lei 9.503/97. É um colegiado composto de representantes de órgãos e entidades públicas, os quais de forma voluntária e gratuita se reúnem quando necessário e em suas horas de folga, a fim de analisar os pleitos e orientar conforme a legislação em vigor; sendo composto por pessoas idôneas e com conhecimentos nas áreas de trânsito, transporte, logísticas e direito. Não cabe ao CMT instalar placas de sinalização, realizar pinturas na via pública ou atos direcionados à melhoria das vias públicas; isso cabe ao Departamento Municipal de Trânsito, entretanto, como ele não existe ainda em Sarandi, tais atribuições são realizadas atualmente pela Secretaria Municipal de Obras.

brigad11111

Por José Leal

CLIQUE AQUI, curta a Fan Page do site e fique informado sobre as notícias da região.

O DiárioRS não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse, as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

  • Estação Fitness
  • Vimesq
  • SCT Construtora e Incorporadora LTDA
  • Revista Spelho
  • Confecções Helenice
  • Eficaz
  • Drago Restaurante e Pizzaria