Grossi Combustiveis
Cresol Sarandi
Cesurg Sarandi
Follow - Liv - G8 Pub
  • Cesurg Sarandi
  • Follow - Liv - G8 Pub
  • Cresol Sarandi
  • Grossi Combustiveis
  • Restaurante 4 Ases
  • Taura Auto Peças
  • Rembecker Estruturas Metálicas
  • X & Cia
  • Cotrisal
  • Rômulo De Cezaro
  • Signomar Comércio de Bebidas
  • Clínica Estética Vitallitá
  • Spyder
  • Laboratório Sarandi
  • Drággon Artigos Esportivos
  • ZF Colchões Bio Magistral
  • Teloken Engenharia LTDA
  • Nina Comunicação Visual
  • Barbearia 84
  • Milani Corretora de Seguros
  • VS Gráfica Expressa
  • Stamp Personalizados
  • Sicredi
  • Bortoluzzi Odontologia
  • Gostinho Della
  • Farmácia Nossa Senhora de Fátima
  • Casarotto Imóveis

Siga nossa página

Exposição ao sol sem proteção é a principal causa do câncer de pele

Campanha "Dezembro Laranja" reforça cuidados de prevenção ao câncer mais comum no mundo. Com hábitos seguros, principalmente no verão, é o melanoma pode ser prevenido. Autoexame pode identificar lesões e auxiliar no tratamento precoce da neoplasia

saude051216campanhadezembroFoi em meio a preparação para uma campanha eleitoral, na qual concorreria para vereadora de Passo Fundo/RS, que Tania Bresolin Cogo descobriu estar com melanoma. Uma pinta nas costas a levou a procurar um médico, que constatou o câncer de pele. Na época com 57 anos, em 2008, a ficha demorou para cair. “Na hora foi um baque muito grande, eu não queria fazer nada, fiquei muito preocupada”, conta. Depois da primeira cirurgia, surgiram outros nódulos nas costas e, hoje, oito anos depois, Tania já conta 10 cirurgias em diversos locais do corpo, como cabeça, pulmões e no braço. O caso de Tania não é uma história isolada. O câncer de pele é o mais comum em todo o mundo. Os diagnósticos de melanoma aumentam cerca de 1% ao ano, mas, na última década, o número de mortes por câncer de pele cresceu 55% no Brasil. O dado é do Instituto Nacional do Câncer A estimativa do Instituto Nacional do Câncer (INCA) é de 5.670 novos casos de câncer melanoma e 175.760 de não melanoma no Brasil, em 2016. A incidência é de cerca de três casos para cada 100 mil habitantes no mundo, 2,8 a cada 100 mil no Brasil e 7,5 para cada 100 mil no Rio Grande do Sul que, junto com Santa Catarina, tem a maior incidência do Brasil. Pelo terceiro ano, a campanha Dezembro Laranja é lançada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) com o objetivo de conscientizar a população sobre o câncer de pele.

O Sol é o principal vilão

Tania hoje é professora aposentada e mora em Balneário Camboriú/SC, mas ela sempre gostou de sol.  “Nunca cuidei horário e antigamente não passava protetor”. Hoje, os hábitos são diferentes. “Eu continuo passeando na praia, mas com cuidado. Saio caminhar cedo, com protetor. Me preocupo com as pessoas que eu gosto, explico a importância de passar protetor solar para os meus netos. A minha vida continua sendo a mesma de sempre, mas agora dou muito mais valor a ela”. Medidas protetoras como limitar a exposição ao sol e usar filtro solar reduzem o risco de ambos os tipos de câncer de pele. Segundo o oncologista clínico do Centro de Tratamento do Câncer (CTCAN), Dr. Alvaro Machado, o principal fator de risco para é a exposição ao sol, tanto para o melanoma quanto para o não melanoma. “A recomendação é evitar longos períodos ao sol, usar protetor solar, roupas claras e compridas e óculos escuros com proteção UVA/UVB. Quanto mais clara a pele e a cor dos olhos, maior o risco. Além disso, sabemos também que bebidas alcoólicas aumentam discretamente o risco para melanoma, então a recomendação é limitar o seu consumo”.

Avanços no diagnóstico e tratamento

O diagnóstico do câncer de pele tem evoluído significativamente nos últimos anos. “Com equipamentos de dermatoscopia cada vez melhores, inclusive a dermatoscopia confocal com alta sensibilidade e especificidade. O tratamento cirúrgico é o pilar, tanto do melanoma inicial quanto do câncer não melanoma. Tratamentos complementares à cirurgia têm evoluído nos últimos anos e, recentemente, foi apresentado estudo com imunoterapia pós-operatória (adjuvante) no melanoma de alto risco, mostrando redução nas recidivas e aumento na sobrevida global”, explica o oncologista. De acordo com ele, a imunoterapia e a terapia alvo são hoje os tratamentos ideais para o melanoma avançado.

O autoexame

Pessoas leigas podem identificar alterações da pele. Conforme Machado, quem tem pele clara ou trabalha exposto ao sol, deve fazer o autoexame. Lesões que não cicatrizam, sangram ou aumentam de tamanho devem ser examinadas pelo médico. “Para melanoma existe o ABCDE: A de assimetria - manchas escuras, negras e assimétricas têm maior risco de malignidade; B de bordos - lisos são mais prováveis benignos, enquanto bordos recortados, geográficos, têm maior risco de malignidade; C de cor - manchas com variação de castanho até preto-azulado são de risco para malignidade enquanto manchas homogêneas são mais provavelmente benignas; D de diâmetro - lesões maiores que 6 mm tem risco; e E, que significa evolução, ou seja, qualquer modificação em um nevus preexistente tem risco de ser melanoma”.

Pensamento positivo e valor à vida

“Estou me sentindo muito bem. Eu me dou bem com o meu câncer”. Atualmente, Tania faz os exames periódicos e sempre que nota algo anormal faz uma visita ao médico. “Estou bem, mas continuo sempre de olho”. Para ela, aproveitar o máximo que a vida tem a oferecer é o que importa. “Quando aparece alguma coisa eu retiro. Eu procuro viver cada dia, cada minuto. Eu curto muito a vida. Eu sempre pensei positivamente e isso me ajuda muito”.

Por Daniela Wiethölter Lopes


CLIQUE AQUI, curta a Fan Page do site e fique informado sobre as notícias da região.

O DiárioRS não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse, as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

  • Vimesq
  • Estação Fitness
  • Confecções Helenice
  • Drago Restaurante e Pizzaria
  • SCT Construtora e Incorporadora LTDA
  • Eficaz
  • Revista Spelho