Cresol Sarandi
Follow - Liv - G8 Pub
Cesurg Sarandi
Grossi Combustiveis
  • Cesurg Sarandi
  • Cresol Sarandi
  • Follow - Liv - G8 Pub
  • Grossi Combustiveis
  • Spyder
  • Teloken Engenharia LTDA
  • Milani Corretora de Seguros
  • Rômulo De Cezaro
  • VS Gráfica Expressa
  • Nina Comunicação Visual
  • Taura Auto Peças
  • Sicredi
  • X & Cia
  • Farmácia Nossa Senhora de Fátima
  • Casarotto Imóveis
  • Gostinho Della
  • Laboratório Sarandi
  • Drággon Artigos Esportivos
  • Barbearia 84
  • ZF Colchões Bio Magistral
  • Restaurante 4 Ases
  • Bortoluzzi Odontologia
  • Signomar Comércio de Bebidas
  • Rembecker Estruturas Metálicas
  • Cotrisal
  • Stamp Personalizados
  • Clínica Estética Vitallitá
  • Home
  • Notícias
  • Saúde
  • No RS, 43% das mulheres têm medo de perder o emprego por conta da gravidez, revela estudo

Siga nossa página

No RS, 43% das mulheres têm medo de perder o emprego por conta da gravidez, revela estudo

 

Pesquisa mostra que 19% das mulheres sente vontade de ser demitida ao revelar a gestação, por conta de constrangimento

Pesquisa realizada ano passado pela FGV, publicada em julho, com 247 mil mulheres, entre 25 e 35 anos de idade, mostrou que metade delas perdeu o emprego dois anos após a licença-maternidade.  A probabilidade de demissão após o período da licença, logo no segundo mês de retorno ao trabalho, é de 10%.

Esses dados de estudos recentes mostram o quão complexo é para a mulher desfrutar de ascensão profissional, quando se é mãe ou quando decide gerar um filho.

Estudo recente sobre Carreira e Maternidade

O site Trocando Fraldas realizou a segunda edição da pesquisa Carreira e Maternidade, desta vez com 10 mil participantes de todo o país. Assim como em 2017, 3 em cada 7 mulheres afirmaram sentir medo de perder o emprego por conta da gravidez.

Este medo do desemprego após a maternidade é maior na faixa etária entre 18 e 24 anos, representando o percentual de 45%.

Os estados Amapá, Acre e Amazonas, no quesito de mulheres com medo de perder o emprego, representam mais da metade do público feminino. No Rio Grande do Sul, 43% das mulheres têm medo de perder o emprego por conta da gravidez.

São Luís, Rio de Janeiro e Curitiba são as regiões em que o índice de medo de desemprego por gravidez é maior, com 46% e 48%, respectivamente.

Outros dados importantes da pesquisa são o de que 43% das mulheres acreditam que o chefe não ‘aprovaria’ a gravidez e 19% das mulheres sentem vontade de ser demitidas na hora, pelo constrangimento de anunciar a gestação no trabalho.

Depois da volta da licença-maternidade, 28% das mulheres consideram difícil conseguir uma vaga para a criança na creche. As dificuldades são maiores nas regiões Centro-Oeste e Sul.

Estes dados de pesquisas recentes revelam problemas sociais graves em relação ao público feminino no mercado de trabalho, quando gerar um filho representa, na maioria dos casos, um empecilho para que se mantenha o emprego.

 

Infografico 2018

 

Daiana Barasa - AI

 

CLIQUE AQUI, curta a Fan Page do site e fique informado sobre as notícias da região.

O DiárioRS não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse, as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

  • Vimesq
  • Estação Fitness
  • Eficaz
  • Revista Spelho
  • SCT Construtora e Incorporadora LTDA
  • Confecções Helenice
  • Drago Restaurante e Pizzaria