Follow - Liv - G8 Pub
Cresol Sarandi
Cesurg Sarandi
Grossi Combustiveis
  • Follow - Liv - G8 Pub
  • Cresol Sarandi
  • Cesurg Sarandi
  • Grossi Combustiveis
  • Teloken Engenharia LTDA
  • VS Gráfica Expressa
  • Rembecker Estruturas Metálicas
  • Signomar Comércio de Bebidas
  • ZF Colchões Bio Magistral
  • Cotrisal
  • Rômulo De Cezaro
  • Milani Corretora de Seguros
  • Drággon Artigos Esportivos
  • Clínica Estética Vitallitá
  • Barbearia 84
  • X & Cia
  • Laboratório Sarandi
  • Restaurante 4 Ases
  • Taura Auto Peças
  • Gostinho Della
  • Nina Comunicação Visual
  • Bortoluzzi Odontologia
  • Casarotto Imóveis
  • Farmácia Nossa Senhora de Fátima
  • Sicredi

Maior evento de oncologia do mundo revela tratamentos promissores

 

Médicos do CTCAN, Dr. Alvaro Machado, Dr. Alex Seidel e Dra. Maria Augusta Zaffari Safro, destacam algumas das principais novidades apresentadas no evento

O Congresso Anual da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (ASCO 2019) é o maior do mundo. São mais de 40 mil participantes imersos em quatro dias de conhecimento sobre estudos clínicos e sessões educacionais que ocorrem em múltiplas salas e auditórios. O evento foi realizado em Chicago, nos Estados Unidos, de 30 de maio a 4 de junho. 

Os oncologistas do Centro de Tratamento do Câncer (CTCAN) de Passo Fundo destacaram os principais assuntos do evento. “É tudo grandioso. Neste congresso são apresentados muitos dos principais estudos clínicos que modificarão a prática diária do oncologista. Por isso, a atenção da imprensa leiga e especializada”, observa Dr. Alex Seidel.

Todas as áreas da oncologia são abordadas no Congresso: políticas de saúde, pesquisa básica, prevenção, diagnóstico precoce, eventos adversos, sequelas precoces e tardias e todas as abordagens terapêuticas nas subespecialidades como oncologia gastrintestinal, genitourinária, ginecológica, pulmonar, endócrina, mama, tumores hematológicos, entre outras.

Estudos com impacto imediato na oncologia
O oncologista Alvaro Machado destacou alguns dos estudos que têm impacto imediato na prática médica. Um deles é o estudo internacional Monaleesa 7, que expande o uso de inibidores da quinase dependente de ciclina (iCDK) para o grupo de mulheres jovens com câncer de mama avançado receptor hormonal positivo em associação com tamoxifeno. É o primeiro estudo demonstrando que inibidores CDK também são eficazes associados ao tamoxifeno em mulheres pré-menopausa, com menos de 50 anos de idade. “Esse estudo mostrou significativa vantagem de sobrevivência geral, praticamente dobrando o tempo de controle da doença. A taxa de sobrevivência foi de 70% para as mulheres tratadas com a terapia combinada, em comparação com 46% para as mulheres que receberam apenas terapia endócrina”, revela Machado. 

Outros estudos importantes foram o Enzamet e Titan que trazem novas opções de medicamentos para câncer de próstata metastático hormônio sensível. Segundo Machado, o Enzamet trial mostrou que a adição de enzalutamida à deprivação androgênica reduziu em 33% o risco de morte e aumentou a sobrevivência global em três anos, enquanto o Titan trial, com apalutamida, reduziu em 52% o risco de morte pela doença. As diferenças foram que a enzalutamida foi comparada a bloqueadores androgênicos de primeira e segunda geração, enquanto a apalutamida foi comparada com placebo.

Em políticas de saúde, Machado ressalta os estudos de melhor acesso ao diagnóstico e tratamentos após o “Obama Care” (Lei de Proteção e Cuidado Acessível ao Paciente) nos Estados Unidos, reduzindo as disparidades étnicas e sociais, e a redução de 20% na incidência de câncer de mama apenas com dieta saudável.

A oncologista Maria Augusta destaca o estudo de olaparibe em câncer de pâncreas metastático portador de mutação BRCA. As opções de tratamento desta doença e o mau prognóstico são desafios para os oncologistas. “O medicamento Olaparibe, neste grupo de pacientes, aumentou o tempo para progressão da doença significativamente. Além deste, o GO2 trial avaliou quimioterapia com doses reduzidas em pacientes idosos ou frágeis com câncer gastroesofágico avançado e mostrou desempenho e benefício semelhante ao tratamento intenso, mas com melhor qualidade de vida”, destaca Maria Augusta.

A imunoterapia também foi destaque em inúmeras áreas. Seidel salienta os resultados de longo prazo em adenocarcinoma de pulmão avançado. “O estudo Keynote001 mostrou que 25% dos pacientes que apresentavam expressão de PDL1 ≥50% estavam vivos em 5 anos, comparado a resultados históricos com quimioterapia de 4-5%. A imunoterapia também está sendo testada antes da cirurgia em pacientes com câncer de pulmão não pequenas células com resultados promissores”, enfatiza o oncologista. 

Foto Asco

Foto Asco

Foto: Arquivo CTCAN
Oncologistas do CTCAN, Dr. Alex Seidel, Dra. Maria Augusta Zaffari Safro e Dr. Alvaro Machado, comentam destaques do ASCO 2019


Assessoria de Imprensa CTCAN
Natália Fávero
Jornalista Mtb nº 14.761

CLIQUE AQUI, curta a Fan Page do site e fique informado sobre as notícias da região.

O DiárioRS não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse, as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

  • Vimesq
  • Drago Restaurante e Pizzaria
  • Eficaz
  • Revista Spelho
  • Confecções Helenice
  • Lancheria Grenal do Tainha
  • SCT Construtora e Incorporadora LTDA
  • Estação Fitness